Home NotíciasPolitica Cícero Almeida acusa Levy Fidelix de “esquema” com Eduardo Cunha e perseguição após divergência por cargos

Cícero Almeida acusa Levy Fidelix de “esquema” com Eduardo Cunha e perseguição após divergência por cargos

Por Alagoas Brasil Noticias

Cícero Almeida

Em pronunciamento na sessão desta quarta-feira (21), na Câmara dos Deputados, o deputado federal Cícero Almeida (PHS) – que teve o mandato cassado pelo TSE – acusou o presidente nacional  de seu antigo partido, o PRTB, Levy Fidelix, de persegui-lo após uma divergência por cargos e de ter revelado, em conversa com ele, um “esquema” com o ex-deputado Eduardo Cunha.

Afirmando que Fidelix agiu “covardemente e mediocremente” ao pedir o mandato na Justiça, o parlamentar fez um alerta ao presidente eleito do País: “Tome cuidado, porque, da mesma forma que ele (Fidelix) fez comigo, com o Estado de Alagoas e com seus filiados, ele pode querer também fazer com Jair Bolsonaro”.

Almeida relatou que, logo após sua posse, no dia 1º de janeiro de 2015 – já destituído da presidência do partido -, teve uma divergência com Fidelix durante uma reunião onde foi discutida a nomeação de três cargos.

Depois do embate, ouviu do ex-correligionário a seguinte frase: “Não se preocupe, que eu tenho um esquema com Eduardo Cunha. Esse esquema equivale a 1 milhão e meio, através de um sistema digital que nós vamos implantar aqui na Câmara, e você não vai ter direito a nada”.

“Eu falei para ele que a minha missão nesta Casa não era essa, era dignificar os votos que recebi no Estado de Alagoas e a minha história política”, completou Almeida.

Segundo o deputado federal, a partir daí passou a ser alvo da cobrança, hoje superior a R$ 553 mil, por ter se desfiliado da legenda, e de várias ações judiciais, com direitos dados a Levy e ao PRTB, além de ter tido o salário e a conta parlamentar bloqueada por cinco vezes, um carro e um apartamento bloqueados: “Esse é o partido do Sr. Levy Fidelix”.

Em outro ponto do discurso, o ex-prefeito de Maceió lembrou que, conforme o depoimento de delatores, Fidelix teria recebido quase R$ 1,5 milhão em propina, pela UTC Engenharia. “E mais: Levy Fidelix critica Bolsonaro, partido do qual ele faz parte hoje; Levy Fidelix financiou uma rede de fake news. Está tudo aqui publicado. E, como complemento, o seu representante em Alagoas, Adeilson Bezerra, que foi preso pela Polícia Federal, na Operação Navalha, segundo ele, é o representante do Governo de Alagoas, ou o intermediador, que eu não acredito, perante o atual Presidente”, completou.

Em sua fala, Almeida “isentou” o General Mourão, que é do mesmo partido de Fidelix, das críticas: “Repito aqui, nada pessoal contra ele, não conheço nada a respeito da história dele”, pontuou.

Fonte: Cada Minuto

PROMOÇÃO ESSA SEMANA QUALQUER PRODUTO, R$ 10,00

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário