Home Alagoas Alagoas está entre os estados menos desiguais, aponta ONG

Alagoas está entre os estados menos desiguais, aponta ONG

Por Alagoas Brasil Noticias

Renda média da população mais pobre de Alagoas é de R$ 341,00 (Foto: Adailson Calheiros)

Alagoas possui as menores rendas do país, seus 10% mais ricos têm rendimento bem menor que os mais abastados de outros estados, como Pernambuco, por exemplo. Já os 10% mais pobres do estado têm as rendas mais baixas do Brasil. Contudo, ficou menos desigual nos últimos anos.

Segundo dados do “País estagnado: um retrato das desigualdades brasileiras – 2018”, lançado na segunda-feira (27), pela Organização Não Governamental (ONG) Oxfam Brasil, com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua de 2016 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a renda média dos 10% mais ricos de Alagoas é de R$ 4.669,00, enquanto a dos 50% mais pobres é de R$ 341,00 – 35,7% do valor de um salário mínimo: R$ 954,00. Já em Pernambuco, citado acima, os 10% mais ricos possuem renda média perto de R$ 6 mil; os mais pobres R$ 341,00, como Alagoas.

“Além do Distrito Federal [DF], Sergipe, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Roraima formam o conjunto das cinco UFs mais desiguais do país, as duas últimas com capitais marcadamente mais ricas que seus interiores, o que explica em boa medida tais desigualdades. Por outro lado, Santa Catarina, Rondônia, Mato Grosso, Goiás e Alagoas são os estados menos desiguais, ainda que as rendas per capita sejam bastante diferentes”, diz o documento da Oxfam Brasil. De acordo com o documento, o DF possui o maior Índice de Gini do país, com 0,5618, e possui a maior renda média. Segundo a Oxfam Brasil, isso se deve à concentração dessa riqueza no Plano Piloto de Brasília, onde os rendimentos médios superam cinco salários mínimos.

BRASIL 1%

De acordo com a Oxfam Brasil, o país está atrás somente do Catar em matéria de concentração de renda pelo 1% mais rico: 29% no país árabe e 28% aqui.

GINI

Se na disparidade das rendas médias entre ricos e pobres Alagoas figura entre os menos desiguais, seu Índice Gini – quanto mais perto de 1 pior – tem aumentado nos últimos anos. Segundo o IBGE, em 2017 o estado pontuou em 0,530 contra 0,526 de 2016. Em 2015 foi 0,480.  De acordo com a Oxfam Brasil, o país passa pela primeira estagnação do índice em 15 anos.

 

Fonte: Tribuna Hoje

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário