Home Religião Em mensagem de Natal, Papa clama por respeito às diferenças

Em mensagem de Natal, Papa clama por respeito às diferenças

Por Alagoas Brasil Noticias

Papa Francisco leu sua tradicional mensagem de Natal

FOTO: DIVULGAÇÃO

O papa Francisco pediu nesta terça-feira (25), em sua tradicional mensagem de Natal, que haja fraternidade entre pessoas de diferentes nações, culturas, religiões, raças e ideias, afirmando que as diferenças são uma fonte de riqueza, não de perigo. 

“Meu desejo de feliz Natal é um desejo de fraternidade. Fraternidade entre indivíduos de todas as nações e culturas. Fraternidade entre pessoas com ideias diferentes. Fraternidade entre pessoas de diferentes religiões”, afirmou o pontífice, diante de cerca de 50 mil turistas que lotaram a Praça de São Pedro. 

Francisco também lamentou as crises que assolam países latino-americanos como a Venezuela e a Nicarágua, e clamou por paz em zonas de conflito, incluindo Iêmen e Síria, devastados há anos por uma guerra civil que levou seus cidadãos a uma grave crise humanitária.

“Sem fraternidade mesmo nossos melhores planos e projetos correm o risco de se tornar vazios e sem alma”, afirmou o papa “Nossas diferenças não são um defeito ou um perigo. Elas são uma fonte de riqueza”, disse, pedindo a todos que se respeitem e ouçam uns aos outros.

Francisco citou as principais regiões em crise ou conflito no mundo e fez uma prece para que a Síria possa reencontrar a fraternidade depois de tantos anos de guerra. O papa apelou para que a comunidade internacional encontre uma solução pacífica que acabe com as divisões e os interesses de diferentes partes, de modo que o povo sírio possa voltar a viver em paz em sua pátria. 

O pontífice ainda pediu a israelenses e palestinos que retomem o diálogo e busquem construir um “caminho de paz que ponha fim a um enfrentamento que, há mais de 70 anos, dilacera a terra escolhida pelo Senhor para mostrar o seu rosto de amor”.

Sobre a África, ele lembrou que “milhões de pessoas refugiadas ou deslocadas precisam de assistência humanitária e segurança alimentar” e rezou para que “um novo alvorecer de fraternidade surja sobre todo o continente”.

Em relação à Venezuela, ele disse esperar que o país consiga “reencontrar a concórdia” e pediu aos venezuelanos que “trabalhem com fraternidade para o desenvolvimento da nação e para ajudar os mais vulneráveis”. Milhões de cidadãos estão fugindo da grave crise econômica e humanitária que assola o país, no maior êxodo da história moderna da América Latina, segundo a ONU.

Sobre a Nicarágua, que vive uma crise de direitos humanos sob o governo de Daniel Ortega, o pontífice pediu que “não prevaleçam ali as divisões e as discórdias” e clamou para que as partes cheguem a uma reconciliação.

Fonte: Gazeta web

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário