Home NotíciasPolitica Parlamentares querem reajuste salarial igual ao do Supremo

Parlamentares querem reajuste salarial igual ao do Supremo

Por Alagoas Brasil Noticias

Deputado Fábio Ramalho (Foto: Gustavo Lima/Câmara dos Deputados)

O atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que concorre à reeleição na Casa, e o seu concorrente, deputado Fábio Ramalho (MDB-MG) defendem o reajuste salarial dos colegas. A apuração é do Estado de S. Paulo. Atualmente o salário bruto de cada deputado federal é de R$ 33,760, superior ao recebido pelo Presidente da República e pelo vice-presidente e ministros de Estado (R$ 30,934).

O debate ganhou força por conta do aumento salarial dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), de 16,38%, aprovado no Congresso. Com a mudança, os salários de cada magistrado da Corte saltará de R4 33,7 mil para R$ 39,3 mil. O valor serve como teto para o funcionalismo público do setor.

Desde 2011 tramita na Casa uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC), de autoria do deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), não reeleito, que propõe que senadores, deputados, ministros de Estado, presidente da República e vice, tenham salários idênticos aos dos ministros do Supremo. Em entrevista ao Estado, Marquezelli disse que a proposta é vantajosa porque limita o teto em todo o país para o funcionalismo público. O lado ruim, é que ajusta para cima.

Sem falar especificamente da PEC, o candidato à presidência da Câmara, deputado Fábio Ramalho, vem defendendo o reajuste salarial de seus pares. “Há colegas que não dependem do salário, mas outros dependem e passam necessidades que a gente não sabe. É preciso dar ao parlamentar uma melhor qualidade de vida. Não é aumento de salário: é reajuste dentro da lei”, disse.

Ainda, segundo o Estado de S. Paulo, Maia também é favorável ao reajuste. A eleição que irá definir a direção do Congresso acontecerá no dia 1º de Fevereiro. Pela regra das duas casas parlamentares, o aumento de salário para deputados e senadores pode ser aprovado em 2019 e entrar em vigor no mesmo ano.

Em novembro, após a Câmara, o Senado aprovou o reajuste salário dos ministros do STF. O impacto calculado pelo reajuste, que irá beneficiar todo o funcionalismo público do setor judiciário, deve variar de R$ 4 bilhões a R$ 6 bilhões por ano, às contas públicas.

Quando questionado sobre o aumento em um momento de crise econômica no país, Ramalho usou o argumento de que bons salários evitam a corrupção:

“É melhor o parlamentar ser bem remunerado porque você pode cobrar dele a lisura, mas eu também defendo a reforma da Previdência, que conserta tudo isso”, sugerindo, assim, uma troca pelo reajuste dos parlamentares.

Fonte: Tribuna Hoje

 

 

 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário