Home NotíciasEsportes Fernandes cita dificuldade nas contratações e prega cautela para CRB reforçar o elenco

Fernandes cita dificuldade nas contratações e prega cautela para CRB reforçar o elenco

Por Alagoas Brasil Noticias

Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (2), no CT Ninho do Galo, na Barra de São Miguel, o técnico Roberto Fernandes comentou sobre o início da pré-temporada do CRB, reconheceu que o plantel não está completo e pregou cautela para o clube não “contratar por contratar” diante de um mercado da bola concorrido. 

“O processo de reformulação foi bem direcionado pela diretoria. O que vem acontecendo é muito mais uma questão da gente opinar em relação a determinadas situações. Não posso te afirmar que para o primeiro jogo vamos estar com o elenco já montado. Na minha opinião, o que a gente deve fazer é o seguinte: sabem-se as carências. Se chegar na condição de um jogador preencher os requisitos que a gente entende que é necessário, beleza, vamos fechar porque estamos com o procedimento atrasado. Mas contratar por contratar só para dizer que no jogo com o Bahia deu para fazer um coletivo com 22, sou totalmente contra”, afirmou. 

“É melhor segurar um pouco e ter a paciência para no final da temporada não ter utilizado 80 jogadores e quatro treinadores. É assim que acontece quando você começa a atropelar os estágios. Hoje, claro, há carências bem definidas. A gente só tem um lateral-direito, um lateral-esquerdo, número nove só estamos com um também. Em outras posições também há essa carência e é de total consciência da diretoria, do presidente e de todos nós. Mas acho que tem que ter paciência. O mercado está super difícil, muito difícil. Acho que nesse momento se a gente for contratar por impulsividade, vai acabar pagando mais num jogador que talvez nem valha tudo isso aí. É ter paciência”. 

 

“O CRB passou por um processo onde tudo na vida tem causa e efeito. Quando terminou a Série B, faltava a definição da continuidade do presidente. Isso levou um tempo. Quando o presidente definiu a sua permanência, levou outro tempo para definir o executivo (de futebol). E tudo isso aí ninguém está esperando. O mercado não diz “Vamos aguardar o CRB, é tão bonzinho”. Não, não. O mercado foi caminhando. E hoje a gente tem uma dificuldade de preencher essas lacunas. Estão sendo estudados nomes. Espero que no mais tardar na próxima semana, a gente já possa ter algumas posições preenchidas. Mas volto a dizer… Só tem um lateral-direito. Então, o que a gente quer é a opção A, B e C. Aí a opção A não dá, opção B não dá e a C não dá. Tá, treina com o menino da base até aparecer a opção ideal. Porque se não você vai contratar por contratar. Aí vai dizer “Ah, já tem dois laterais”. Mas e aí? Atende aquilo que a gente quer? Acho que é preciso ter muito discernimento neste momento”, opinou o treinador do CRB.

Sob o comando do técnico Roberto Fernandes, o Regatas iniciou os trabalhos de pré-temporada nesta tarde e se prepara para a estreia na Copa do Nordeste. O primeiro jogo do ano será com o Bahia no dia 16 de janeiro, na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela primeira rodada do Nordestão. Pelo Campeonato Alagoano, o Galo estreia dia 20 de janeiro, em casa, contra o Coruripe. 

Veja outros trechos da entrevista. 

Reformulação de elenco: qual porcentagem CRB chega nesta pré-temporada?

“Não tenho essa resposta para te dar. Infelizmente não tenho. Certamente vamos ter mais trabalho do que quando iniciamos aqui na Série B. Por quê? Porque na Série B você tinha um norte. Tinha uma equipe que tinha feito vários jogos na temporada. Se foi bom, se foi ruim, se foi vencedor, perdedor, não interessa, tinha um norte. Agora não. Agora a gente parte praticamente do zero. Para quem está iniciando o trabalho dia 2, eu diria que o CRB é uma das equipes que mais vai ter trabalho pela frente, porque a grande maioria que inicia no dia 2 manteve uma base sustentável”. 

“Se formos avaliar a ferro e fogo, apenas o Claudinei ficou como jogador titular. Tudo é muito expectativa para que a gente possa ver a realização. Precisamos começar os treinamentos para que possamos ter uma noção daquilo que vamos ter em relação à expectativa. É claro que todos os jogadores que vieram contratados, foram contratados com a melhor das intenções. Mas agora a gente precisa ver esse processo efetivamente em campo. Esse processo foi muito parecido com a nossa chegada na Série B. Naquela ocasião, a gente já não tinha mais contratações. Desta feita não, a gente tem contratações. É um trabalho que está sendo começado do zero. Uma expectativa boa. Mas a gente precisa tentar ver agora se consegue encaixar esse grupo”. 

Calendário apertado

“É um início de temporada que eu já nem perco muito tempo em comentar porque acho uma loucura. O CRB parte praticamente da estaca zero e com 13 dias de treinamento pega o Bahia na Fonte Nova. Três dias depois tem outro jogo, depois tem outro jogo. Você tem quatro jogos praticamente em uma semana. Quando você olha o calendário lá na frente, vê que vai ter espaço, que não precisava dessa loucura. Não vou discutir mais calendário. O que eu tinha de perder tempo com isso aí, já perdi”. 

“Cabe a nós tentarmos fazer o melhor planejamento possível. De cara, a única coisa que posso te dizer é que com 13 dias de trabalho é impossível dar uma sequência de jogo para um mesmo grupo. A gente deve utilizar bem o elenco no início de temporada. Como é início de temporada, aqueles atletas que se apresentaram e se condicionarem mais rápido, esses aí são os que vão estar iniciando a temporada”. 

Cobrança da torcida

“A rivalidade do torcedor tem que acontecer, viu o rival conseguir o acesso e obviamente quer. Mas não vamos inverter os papeis. Hoje quem tem o maior orçamento e está na Série A é o CSA. Quem tem que ser cobrado é ele. Temos que fazer um trabalho de superação. Isso aí ficamos muito tranquilos. Em relação ao trabalho, a gente inicia um processo não da forma que considero ideal. Agora, é claro que existe uma distância muito grande daquilo que a gente quer para aquilo que pode ser”. 

“Por exemplo, para mim, a apresentação deveria ter acontecido dia 17. Mas por questões legais, como estava na Série B, e aí tem a questão de férias, não pôde. Mas, por exemplo, quem não estava na Série B está na frente. Vou dar um exemplo simples. O treino que vai ser feito hoje, o nosso adversário na Copa do Brasil, que é o Brasiliense, já está fazendo há 20 dias. Acho que vamos ter um início de temporada onde vamos precisar muito do apoio e da paciência do torcedor, porque é um trabalho que está iniciando do zero, claro, com a melhor das expectativas”.

Fonte: TNH1

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário