Home Geral Afetados, moradores vão à Justiça contra bloqueadores de celulares nos presídios

Afetados, moradores vão à Justiça contra bloqueadores de celulares nos presídios

Por Alagoas Brasil Noticias

LEGENDA

FOTO: ARQUIVO/GAZETAWEB

A instalação de bloqueadores de celular no Sistema Prisional de Maceió resolve um importante problema na Segurança Pública do estado, já que os reeducandos ficam impossibilitados de se comunicar por meio desses aparelhos com o mundo externo. A ideia seria ótima se não afetasse, de forma paralela, a população que mora no entorno do complexo penitenciário. 

No entanto, a Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social informou que ajustes estão sendo feitos para que os bloqueadores não afete o sinal dos moradores.

Desde junho do ano passado, quando os bloqueadores foram instalados, os moradores de condomínios próximos têm dificuldades em realizar ou receber ligações dentro de suas próprias residências. Além do sinal do celular, a internet na região começou a ser afetada nas últimas semanas. 

A universitária Camila Barbosa mora no Condomínio Vila Madalena, que fica na BR-104, em frente ao sistema, e reclama da atual situação. Segunda ela, é preciso sair de casa e ir para um local mais distante para conseguir fazer uma ligação. Ela diz que há tempo não é possível receber chamadas.

“Não é justo pagar por um serviço e não receber, ou quando receber, ser o mínimo. Pra ter acesso a internet agora, eu tenho que contar com o vento, por exemplo. A depender dele, o sinal vem, mas bem fraco, e não dá pra fazer muita coisa”.

Os moradores acionaram a assistência técnica da rede de telefonia e os técnicos confirmaram que a interferência se dá devido a instalação dos bloqueadores.

“A princípio, era só o sinal de celular mesmo, daí toda vez que eu precisava fazer uma ligação, tinha que ir até os fundos do condomínio, ou sair dele mesmo. Há mais de seis meses que eu não consigo receber uma ligação em casa, todos os meus contatos já estavam avisados e quem precisava fazia a ligação pelo WhatsApp. A pessoa da assistência já confirmou que o problema são os bloqueadores. Por isso que não dá pra fazer nada, da parte deles, no caso”, explicou.

O síndico do condomínio disse à Gazetaweb que o residencial vai entrar com uma ação na justiça para tentar resolver o problema. E uma reunião, na próxima semana, vai reunir os condôminos com o objetivo de criar um abaixo-assinado para juntar ao processo.

“A situação está um absurdo. Estive lá no presídio e disseram que não poderiam fazer nada. Está um caso sério, não temos acesso a internet, as operadores mal pegam, precisa sair do apartamento para fazer uma ligação”, disse Anderson Rizzo.

VERSÃO DA SERIS

Procurada, a assessoria da Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social informou que ajustes técnicos estão sendo feitos para que o sinal dos aparelhos que permitem a comunicação externa seja totalmente bloqueado e não afete o sinal dos moradores da região. Ressaltou ainda, que os equipamentos são fundamentais para garantir a ordem e disciplina no cárcere, inibindo ações criminosas e fortalecendo a segurança.

Fonte: Gazeta web
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário