Politica

Ronaldo Lessa nega, mas PDT vai desfiliar quem ficar em cargos comissionados no Governo

12 de julho de 2019 | 08:28 | Presidente da legenda, ex-governador afirma não haver nenhuma deliberação sobre isso, mas fonte ouvida pela Tribuna aponta que até situação do secretário Rafael Brito deve passar por análise

Ronaldo Lessa chegou a dizer que Rui Palmeira não fez qualquer convite para retorno à base tucana (Foto: Sandro Lima/arquivo) 

O PDT saiu do Governo do Estado, no final do mês de junho, mas ainda há alguns filiados ocupando cargos em comissão na Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri). O ex-governador Ronaldo Lessa, presidente da legenda em Alagoas, garante que nenhum será expulso caso permaneçam nos espaços.

“Não existe deliberação para expulsar ninguém”, garante o líder trabalhista. Entretanto, a Tribuna conversou com um membro do PDT – que pediu para não se identificar – que afirma que as expulsões ocorrerão, caso os filiados sigam no Governo do Estado.

“Tem uns quatro ou cinco ainda na Seagri. Eles têm até o fim deste mês para sair do Governo do Estado. Senão, serão expulsos. Isso é deliberação da direção do partido”, afirma o filiado ao PDT.

Já Ronaldo Lessa diz não saber quantos filiados ainda estão na Seagri. “Se não todos, quase todos já foram exonerados”.

RAFAEL BRITO

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) Rafael Brito é filiado ao PDT, mas sua presença na equipe de Renan Filho (MDB) não é indicação partidária. Segundo a fonte ouvida pela Tribuna, seu caso será discutido à parte, “mas a direção quer expulsá-lo também porque ele é filiado ao partido e dirigente, mesmo num cargo menor”.

O ex-governador Ronaldo Lessa diz ter sido informado de que Rafael Brito se filiou ao MDB, mas não sabe precisar. A reportagem consultou o sistema de filiação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e confirmou a filiação do titular da Sedetur ao PDT.

Rafael Brito também é genro de Otávio Lessa, irmão do ex-governador Ronaldo Lessa e presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Ainda segundo a fonte, o caso de Daniel Mello, titular da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude (Semelj), também filiado ao PDT e, portanto, situação similar a de Rafael Brito, não está em discussão.

“O Daniel era dirigente e deixou o cargo para seguir na Prefeitura. Ele sempre foi honesto com o partido nesse quesito e seu caso não está em discussão. Já o Rafael não. Ele ainda é dirigente do partido”, relata o filiado ao PDT.

RUI PALMEIRA

Ronaldo Lessa também negou qualquer contato “formal” do prefeito Rui Palmeira (PSDB) para que o PDT volte a participar de sua base de apoio. Mas o filiado ouvido pela reportagem afirma ter havido contato. Entretanto, o partido decidiu não compor com o tucano.

“Isso é, inclusive, uma decisão nacional. O partido aqui não vai compor nem com o Rui nem com o Renan. A ideia é que se tente ser uma terceira via nessa disputa municipal do ano que vem em Maceió”, diz o filiado ao PDT.

 CANDIDATURAS

Em convenção realizada no último dia 6, o PDT decidiu lançar candidatura própria à Prefeitura de Maceió. Entre os cotados para a tarefa estão, além de Ronaldo Lessa, Kátia Born, Judson Cabral e Corintho Campelo.

Fonte: Tribuna Hoje

Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar