Anadia/AL

24 de outubro de 2021

Anadia/AL, 24 de outubro de 2021

Comissão Especial da Mulher divulga relatório de Audiência Pública sobre Violência Obstétrica

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 7 de agosto de 2019

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
ff
Pexels
 
 

A Comissão Especial da Mulher da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas (OAB-AL) divulgou, nesta terça-feira (06), o relatório final da Audiência Pública que tratou sobre a Violência Obstétrica em Alagoas. O objetivo do documento é levar para os órgãos competentes os dados, informações e sugestões para promover ações em conjunto.

A audiência buscou obter subsídio, informações, sugestões, discutir o tema, ouvir mulheres e profissionais acerca da Violência Obstétrica no estado de Alagoas, para conseguir entender o cenário atual na localidade e promover atuações junto às autoridades e instituições, bem como programações das ações institucionais voltadas ao assunto.

De acordo com a presidente da Comissão Especial da Mulher, Anne Caroline Fidélis, o evento reuniu representantes de diversos segmentos da sociedade e trouxe relatos de vítimas e profissionais que enriqueceram a discussão.

“Tivemos a participação de mais de 200 pessoas onde sua grande maioria participou do debate desde o início da audiência pública. Tivemos relatos gravíssimos de violência obstétrica registrados em nosso estado. É um problema que afeta milhares de mulheres pelo mundo e precisa ser combatido”, disse.

Dentre os relatos, os mais comuns são a forma de abordagens da equipe de saúde nas unidades do Estado. Os toques nas partes íntimas sem os devidos cuidados e atenção, relatos de sede e fome durante dias em trabalho de parto.

Para o presidente da OAB-AL Nivaldo Barbosa Jr. a audiência trouxe à tona um problema silencioso e que, por muitas vezes fica guardado na memória da mãe por vergonha, medo, pelo trauma a que foi submetida e que agora, com este relatório, a OAB-AL vai buscar junto aos órgãos ações que visam combater a violência obstétrica em Alagoas.

“Temos um problema que precisa ser combatido e a OAB-AL vai levar estes relatos para os órgãos. Juntos vamos elaborar campanhas, traçar ações. O parto é uma das dádivas da vida, momento único e tem que ser lembrado pelas coisas boas. Apenas pelas coisas boas”, disse.

CLIQUE AQUI para ler o relatório completo. 

Fonte: TNH1

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter