Anadia/AL

24 de outubro de 2021

Anadia/AL, 24 de outubro de 2021

De questionado a ovacionado: chegada de Daniel Alves alivia pressão sobre Raí no São Paulo

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 8 de agosto de 2019

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
tt
Foto: Marcos Ribolli 

Em um dos momentos da apresentação de Daniel Alves, na última terça-feira, parte dos quase 45 mil torcedores que estiveram no Morumbi gritaram o nome de Raí. O diretor de futebol do São Paulo foi um dos principais responsáveis pela contratação do capitão da seleção brasileira.

As palmas e o grito de “Raí” foram uma demonstração de que o diretor e ídolo são-paulino retomou parte de seu prestígio no clube. Antes de ser o articulador da negociação, o ex-jogador sofreu duras críticas da torcida e pedidos de afastamento de conselheiros.

O momento mais delicado dessa relação conturbada foi quando Raí apareceu no torneio de Roland Garros, no final de maio deste ano. Ele se ausentou do clube em meio à disputa do clássico contra o Corinthians, pelo Brasileirão, e foi questionado.

 

Raí durante visita a Roland Garros — Foto: Reprodução/Instagram

Raí durante visita a Roland Garros — Foto: Reprodução/Instagram

Torcedores e conselheiros viram a atitude do dirigente como um descompromisso com o clube. Nem mesmo as explicações do São Paulo, alegando que a viagem do diretor estava programada desde janeiro por conta de um evento da Fundação Gol de Letra e de reuniões com presidentes de clubes da França, acalmaram os ânimos.

O caso desgastou a relação de Raí internamente. Ele foi a público prestar esclarecimentos, como nesta entrevista para o Grupo Globo, e foi alvo de pressão de grupos de conselheiros. Sabendo disso, o presidente do São Paulo, Leco, sinalizou que não haveria trocas imediatas nos cargos.

Para piorar, logo após o clássico, o São Paulo foi eliminado da Copa do Brasil em duelo contra o Bahia. A queda em mais um torneio resultou em um protesto em frente ao CT da Barra Funda. Centenas de torcedores foram ao local no dia 1º de junho, e um dos principais alvos foi Raí, além de Leco e jogadores, como Nenê, Hudson, Jucilei e Reinaldo.

A pressão sobre Raí era antiga, sobretudo por conta da eliminação precoce na Copa Libertadores. Em fevereiro, por exemplo, conselheiros da oposição pediram a saída do diretor de futebol em um documento entregue a Leco. A situação, por sua vez, defendeu Raí e o apoiou junto ao presidente.

A reviravolta

Segundo o São Paulo, a ida de Raí à França, em maio, também tinha o propósito de iniciar uma sondagem a Daniel Alves. Ao retornar ao Brasil, Raí teria apresentado a ideia sobre o lateral para os outros dirigentes, mas poucos apostariam em um desfecho positivo.

Daniel Alves e Raí em Paris — Foto: Arquivo Pessoal

Daniel Alves e Raí em Paris — Foto: Arquivo Pessoal

A fase de convencimento para Daniel Alves aceitar o projeto do Tricolor passou quase inteiramente por Raí. O dirigente chegou a enviar um vídeo para o lateral de uma visita que o elenco fez a uma escola estadual. Com aquilo, queria mostrar que, caso ele aceitasse a proposta, também haveria ações sociais envolvidas. E isso foi citado pelo jogador em sua apresentação.

– Não só pelo que o Raí faz, que é incrível, tem de tirar o chapéu, mas o contexto geral. Pela questão social, acho que os jovens estão precisando de referência boa para ser alguém. Quem saiu da roça pode ser uma pessoa que eles possam se espelhar. Assim como o Raí. Quero deixar um pouco disso para outras crianças. O mesmo compromisso do Raí é o meu e, se pudermos reunir forças para conquistar isso, a gente não pode medir esforços – afirmou.

Em meio às negociações com Daniel Alves, outro ponto foi importante para o resgate de Raí no São Paulo. No início de julho, o presidente do Corinthians, Andrés Sánchez, declarou que Raí estava se oferecendo para ocupar o lugar de Edu Gaspar na seleção brasileira. O diretor são-paulino foi a público e fez um pronunciamento que fez a torcida se sentir representada, assim como os dirigentes.

– Primeiro, é lamentável ter de vir aqui falar sobre uma declaração do Andrés. Mas, em respeito à torcida do São Paulo… Todo mundo sabe que não sou de largar desafios no meio. Segundo, não troco o São Paulo por nada. Terceiro, se ele está falando de mim e do São Paulo, está preocupado com a gente. E, para terminar, todo mundo sabe que ele tem coisas mais graves para cuidar – afirmou Raí, na época. Logo após a fala, a CBF divulgou nota desmentindo o presidente corintiano.

Durante a coletiva de apresentação de Daniel Alves, Raí foi aplaudido por conselheiros após seu discurso no Salão Nobre do Morumbi, falando até mais do que o próprio presidente são-paulino. O gesto mostrou mais um voto de confiança ao diretor que ainda precisa de títulos para se estabelecer de vez no clube.

Daniel Alves, Raí e Antony no São Paulo — Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC

Daniel Alves, Raí e Antony no São Paulo — Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC     

Fonte: Globo esporte

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter