Anadia/AL

17 de outubro de 2021

Anadia/AL, 17 de outubro de 2021

Bilionário acusado de comandar rede de pedofilia se suicida

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 10 de agosto de 2019

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
gettyimages-1157188512

Jeffrey Epstein se suicidou neste sábado | FOTO: DIVULGAÇÃO

Jeffrey Epstein, o bilionário americano acusado de ter dirigido durante anos uma trama pedófila para explorar sexualmente menores, suicidou-se em sua cela numa prisão de Nova York. A informação é do jornal El País. Há mais de duas semanas, Epstein, de 66 anos, foi achado inconsciente quando tentou tirar a própria vida em outra ocasião. Repetiu o feito neste sábado. Segundo The New York Times, Epstein, que enfrentava uma pena de até 45 anos de prisão, foi encontrado às 7h30 enforcado. 

O investidor nova-iorquino estava internado na mesma prisão de alta segurança na que esteve enclausurado durante mais de dois anos o narcotraficante mexicano Joaquín El Chapo Guzmán, o Centro Correccional Metropolitano de Nova York. Segundo o ABC News, Epstein estava sob vigilância especial por risco de suicídio. Durante uma recente vista em um tribunal, os advogados de Epstein advertiram o juiz que supervisiona o caso de que seu cliente recebia ameaças e que temia por sua segurança. O magistrado negou a liberdade sob fiança até a celebração do julgamento. Segundo argumentou, Epstein representava um perigo para a comunidade, além de existir elevado risco de fuga. 

No meio da confusão pelo incidente do mês passado, quando Epstein foi encontrado semi-inconsciente em sua cela, Lisa Bloom, uma advogada que representa várias vítimas do bilionário, deixou claro nas redes sociais que seus clientes “não desejam o suicídio” a ninguém, “nem sequer a um depredador reincidente que enganou e feriu tantas mulheres”. Bloom desejou que Epstein seguisse com vida até o início do julgamento para que “enfrente a justiça e a responsabilidade por tudo o que fez”.

Epstein era amigo dos presidentes de EUA Donald Trump e Bill Clinton, mas no momento em que o bilionário foi acusado de recrutar crianças para atos sexuais, os dois líderes políticos trataram de se afastar dele. Trump, que faz anos se referiu a ele como “um sujeito estupendo”, agora sustentava que “não era admirador” do imputado. Clinton, por sua vez, que utilizou o avião de Epstein diversas vezes em função do trabalho da Fundação Clinton, anunciou num comunicado que se desvinculou do bilionário.

Foi na mansão que Epstein tinha em 9 East 71st Street de Nova York que supostamente os abusos foram cometidos, uma casa na qual o biilionário organizou em uma ocasião um jantar ao qual foram Clinton e Trump, além do empresário Leslie Wexner, dono entre outras assinaturas da marca de  Vitória?s Secret, e milionários como Mort Zuckerman e o cofundador de Google Sergey Brin. Na mansão há fotos de Epstein com outras pessoas influentes como o diretor de cinema Woody Allen ou o príncipe saudita Mohammed bin Salmán. Epstein costumava alardear a “coleção” de amigos famosos que tinha.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Gazeta Web

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter