Brasil

Ministros do STF externaram contrariedade com frase de Carlos Bolsonaro sobre democracia

11/09/2019 | 09h02

Foto: G1

De forma reservada, ministros do Supremo Tribunal Federal ouvidos pelo blog demonstraram contrariedade com mensagem postada pelo vereador Carlos Bolsonaro (PSC), do Rio de Janeiro, em que falou sobre a solução dos problemas do país pela democracia.

Nas palavras de um ministro, ao postar a mensagem, o vereador fez uma espécie de teste sobre o limite de suas declarações. Houve forte reação, inclusive dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), além do próprio presidente em exercício, Hamilton Mourão.

“Não se pode relativizar a democracia”, disse um ministro ao blog.

Esse ministro chegou a lembrar que o STF deu um duro recado ao governo no fim do recesso do Judiciário quando considerou inconstitucional a reedição de medida provisória que insistia em transferir da Funai para o Ministério da Agricultura a demarcação de terras indígenas.

Nesta terça-feira (10), ministros do STF faziam questão de lembrar a afirmação do decano da Corte, o ministro Celso de Mello, que em seu voto alertou para o que chamou de indisfarçável resíduo de autoritarismo por parte do presidente Jair Bolsonaro.

“O comportamento do atual presidente da República, revelado na reedição de MP rejeitada, traduz clara e inaceitável transgressão a autoridade suprema da Constituição Federal. Uma inadmissível e perigosa transgressão da separação de poderes”, afirmou Celso de Mello na ocasião.

“Parece ainda haver, na intimidade do poder, um resíduo de indisfarçável autoritarismo, despojado sob tal aspecto quando transgride a autoridade da Constituição. É preciso repelir qualquer ensaio de controle hegemônico do aparelho de Estado por um dos poderes da República”, completou o decano.

Na segunda (9), o vereador carioca afirmou numa rede social que a transformação que, segundo ele, o Brasil quer, não acontecerá na velocidade almejada, pelas vias democráticas.

“Por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos… e se isso acontecer. Só vejo todo dia a roda girando em torno do próprio eixo e os que sempre nos dominaram continuam nos dominando de jeitos diferentes!”, afirmou o vereador em rede social.

Fonte:  G1

Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar