MunicípiosSLIDE

Alunos pagaram mais de R$ 7 mil por curso e receberam diploma falso da UNEAL

UNEAL não reconhece a autenticidade dos diplomas; 17 estudantes receberam os certificados falsos | 05|10|2019 às 20:52

Foto: Reprodução – Alagoas Web

Alunos da cidade de Palhano, no interior do Ceará, pagaram cerca de R$ 7 mil, cada, durante quatro anos por um curso de graduação em pedagogia e receberam diplomas falsos.

Segundo investigações da Polícia Civil, 17 estudantes pagaram R$ 150 de mensalidade e, depois do término do curso, verificaram que os documentos possuíam chancela da Universidade Estadual de Alagoas (UNEAL), mas haviam sido emitidos pela Faculdade Excelência, na cidade de Maranguape (CE).

Na sexta-feira (04), a polícia de Russas cumpriu dois mandados de prisão e um de busca e apreensão contra o esquema no município. Um professor de 51 anos envolvido no golpe foi preso e outro docente, de 55 anos, que oferecia as graduações em Palhano, tem um mandado de prisão preventiva em aberto e está foragido.

“Os alvos da operação são, a Faculdade Excelência, que foi alvo de busca e apreensão; o professor de 55 anos que teria ofertado o curso e seria o responsável por toda a parte acadêmica e financeira do curso; o indivíduo preso nesta sexta-feira, que era proprietário de um instituto de educação. Esse homem teria feito uma intermediação entre o professor de 55 anos e a Faculdade Excelência, que na época era a Faculdade Kurios”, explicou o delegado Regional de Russas, Thalles Lima.

Ainda segundo Lima, a UNEAL não reconheceu a autenticidade dos diplomas. Diante dos indícios, a polícia cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do professor foragido, na cidade de Aracati, Litoral Leste do Estado.

Apreensões de dinheiro

Durante buscas realizadas pela polícia há cerca de dois meses, foram apreendidos mais diplomas, documentos que auxiliaram as investigações e valores em dinheiro. Seguindo com as investigações, os policiais civis chegaram ao nome do professor preso na manhã desta sexta-feira.

De acordo com a polícia, os dois professores vão responder por falsificação de documento público e estelionato.

Fonte: Alagoas Web

Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar