GeralSLIDE

Concurso Caixa: presidente anuncia 800 novas contratações

CONCURSOS | 07|10|2019 ÀS 20:54

Reprodução
Durante uma audiência pública realizada na Comissão de Trabalho, Administração e Serviços Públicos (CTASP) da Câmara dos Deputados, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou 800 contratações de aprovados no concurso de 2014. Esses se somariam aos 2 mil PCDs contratados recentemente pelo banco.

“Nós do conselho diretor aprovamos mais 800 contratações”, disse o presidente da estatal.

No entanto, para que as chamadas possam de fato ocorrer, será necessária a aprovação do ministro da Economia, Paulo Guedes,e da aprovação do Conselho de Administração. O pedido será feito na próxima reunião do conselho.

Apesar das contratações, o déficit nas agências continua preocupante, como alertou o diretor executivo do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Dionísio Reis, em nota publicada no site do Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo.

“A contratação dos PCDs ainda não atende ao percentual exigido por lei e o anúncio da contratação de mais 800 empregados, ainda é muito pouco para suprir a demanda reprimida das agências e mesmo somado nem sequer repõe as três mil demissões ocorridas só neste ano”, alertou.

Durante a audiência, a deputada Erika Kokay, solicitante do encontro, apresentou alguns números da pesquisa da Fenae. A pesquisa aponta que 60% dos empregados se dizem sobrecarregados, em situação de assédio moral, temendo a reestruturação, mudanças bruscas na vida funcional.

Além disso, afirmam sofrer com planos de metas impostos sem discussão. O presidente afirmou não estar a par de casos de assédio dentro da empresa.

Convocações de PCDs foram feitas por conta de determinação judicial

Os PCDs aprovados no concurso de 2014 e convocados este ano tomaram posse em julho. Na época, Pedro Guimarães falou sobre o compromisso da Caixa em fortalecer uma cultura de respeito e valorização da diversidade, além de promover a igualdade de oportunidades.

“Nós estamos fazendo essa contratação porque a Caixa precisa e nós temos essa dívida com vocês”, destacou.

E complementou: “Os 5% são o mínimo, mas o mais importante é que essas pessoas sejam incluídas e façam parte naturalmente da sociedade”.

Michelle Bolsonaro, que também esteve presente, falou sobre a importância de mudar a cultura nas organizações. “É preciso gerar mudanças a fim de trazer naturalidade na convivência entre seus trabalhadores, sejam eles deficientes ou não.”

As convocações geraram polêmica. Em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, Natalia Dias de Oliveira, integrante da comissão de aprovados disse que a medida fere a isonomia e pretere os candidatos da ampla concorrência. 

“Candidatos que tiveram a colocação melhor do que a dos PcDs não foram convocados”, diz a aprovada no concurso Caixa 2014.

No entanto, as chamadas são resultado de uma decisão da Justiça do Trabalho. A ordem proferida em maio deste ano determinava a convocação de 2.500 pessoas com deficiência. Isso para que a instituição conseguisse cumprir a Lei de cotas, mantendo um quadro com 5% das vagas destinadas a PCDs.

Durante a audiência do dia 1°, Pedro Guimarães manteve o discurso de que as convocações são administrativas. Segundo ele, as agências da Caixa Econômica Federal estavam com poucas e precisavam de novas contratações. Diante disso, optaram por chamar pessoas com deficiência, que possuem uma sensibilidade maior para lidar com os clientes.

Concurso realizado em 2014 teve mais de 30 mil aprovados

O concurso da Caixa Econômica foi realizado em 2014. A oferta foi para os cargos de técnico bancário (nível médio), médico do trabalho e engenheiro (superior). Todas para formação de cadastro reserva. 

Ao todo, foram mais de 30 mil aprovados no cadastro reserva. A seleção, organizada pelo Cebraspe, contou com mais de 1 milhão de inscritos. 

Inicialmente, a validade do concurso era de um ano, prorrogável por igual período. O prazo terminaria no dia 16 de junho de 2016 para os cargos de técnico e no dia 26 de junho de 2016 para médicos e engenheiros. 

No entanto, o Ministério Público do Trabalho do Distrito Federal e Tocantins (MPT-DF/TO) ajuizou uma ação para que o banco prorrogasse por tempo indeterminado a validade do concurso. 

A medida visava a garantia de que houvesse mais tempo para convocação dos aprovados. O concurso Caixa 2014 seguirá vigente até a finalização do processo. 

Fonte: Folha Dirigida

Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar