Home NotíciasPolitica Após Justiça determinar soltura de Lula, Bolsonaro mantém silêncio

Após Justiça determinar soltura de Lula, Bolsonaro mantém silêncio

Por Alagoas Brasil Noticias

Presidente participou de cerimônia de entrega de ônibus escolares a serem entregues a municípios do Estado Foto: Isac Nóbrega/PR

GOIÂNIA –  Após a Justiça determinar a libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente Jair Bolsonaro manteve silêncio sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal ( STF ) que mudou o entendimento sobre prisão após condenação em segunda instância. Apesar da previsão de entrevistas para a imprensa, ele não falou com os repórteres. Nos bastidores, Bolsonaro tem demonstrado preocupação que qualquer manifestação sua possa ser encarada neste momento como uma afronta à Corte.

No momento em que começou a circular a notícia de que o alvará de soltura havia sido expedido, o presidente participava de um evento de entrega de ônibus escolares, em Goiânia. A decisão do juiz Danilo Pereira Junior, da 12ª Vara Federal de Curitiba, em favor de Lula saiu às 16h16. Pouco depois, no Estádio Serra Dourada, às 16h23, enquanto o governador de Goiás Ronaldo Caiado (DEM) discursava, o assessor especial da Presidência, Célio Faria, se dirigiu a Bolsonaro e mostrou o celular.

O presidente colocou os óculos para ler algo e fez um comentário com o assessor. Pouco depois, Bolsonaro falou ao ouvido do ministro da Educação, Abraham Weintraub, abaixou a cabeça e olhou para frente. Faria, que já  havia se sentado, então voltou para falar novamente ao presidente, que reagiu sinalizando negativamente com a mão.

Logo em seguida, Bolsonaro discursou por quase 8 minutos, mas não fez nenhuma referência ao assunto. O presidente se concentrou em elogiar a iniciativa da entrega dos ônibus escolares e voltou a falar que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não deve ter questões de ideologia de genêro ou política.

Após o encerramento da cerimônia, havia a previsão de que Bolsonaro concedesse uma entrevista coletiva. Jornalistas foram posicionados e avisados pela equipe de comunicação do Palácio Planalto que três perguntas poderiam ser feitas. O presidente, no entanto, foi embora  sem dar declarações, surpreendendo os funcionários do governo.

O presidente seguiu direito para a inauguração do escritório político do líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO),  localizado a cerca de 5 quilômetros do estádio.  Ao chegar no local, sem estar acompanhando por repórteres, o presidente desceu do carro e acenou por apoiadores que o chamavam de “mito” e pegou uma criança no colo.

A assessoria do parlamentar havia informado que dentro do escritório teria uma estrutura para receber a imprensa e adiantou que havia a previsão de uma coletiva com Bolsonaro e o Major Vitor Hugo.  Entretanto, jornalistas não puderam entrar no local e, mais uma vez, Bolsonaro saiu sem dar declarações. Eram quase 17h30.  Lula deixou a prisão em Curitiba às 17h34.

Pela manhã, ao deixar o Palácio do Alvorada, Bolsonaro perguntou o que eles queriam falar, mas ao ser questionado sobre a decisão do STF, entrou no carro. Ele seguiu para a formatura de Policiais Federais, mas também não mencionou o tema.

Decisão do STF

Na noite desta quinta-feira, o STF decidiu que réus têm o direito de responderem seus processos em liberdade até que os recursos sejam exauridos. Em 2016, o tribunal permitira a possibilidade de prisão após duas condenações, a chamada execução provisória da pena.

 
 

Nesta sexta, o juiz Danilo Pereira Junior, da 12ª Vara Federal de Curitiba, concordou com o pedido protocolado  pela defesa do ex-presidente e concedeu um alvará de soltura baseado na decisão desta quinta-feira do STF. O ex-presidente deve ser solto nesta sexta-feira.

Condenado pela primeira vez na Lava-Jato em junho de 2017, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso desde 7 de abril de 2018 na Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba, onde cumpre pena de 12 anos e um mês de prisão relativa ao processo do  tríplex do Guarujá.

Entrega de ônibus

Em Goiânia, Bolsonaro participou da cerimônia de entrega de 214 ônibus escolares para o estado de Goiás. O ministro da Educação (MEC), Abraham weintraub, e governador Ronaldo Caiado (DEM) estiveram no evento realizado no Estádio Serra Dourada. Os veículos vão atender cerca de 15 mil alunos em 133  municípios.

O investimento é de R$ 43, 3 milhões de reais e faz parte do Programa Caminho da Escola, lançado em 2007 pelo governo Lula (PT). 

— Esses anos não são de A, B, C.  Vieram da bancada, vieram de quem paga imposto — disse o ministro da Educação.

Fonte: O Globo

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário