EsportesSLIDE

CSA perde para o Bahia e está praticamente rebaixado à Série B de 2020: 2 a 1

Azulão precisava vencer para manter vivo o sonho de seguir na Série A do Brasileiro, teve várias chances de gols, mas desperdiçou | Por Fernanda Medeiros | 01|12|2019 ÀS 21:53

CSA teve como técnico Jacozinho, em uma noite de tristeza para o time e a sua torcida, após perder para o Bahia por 2 a 1, e descer para a Série B | FOTO: FELIPE NYLAND.

O CSA tentou, teve várias chances de gols para virar o placar, mas não conseguiu. Acabou perdendo para o Bahia, por 2 a 1, na noite deste domingo (1), no Estádio Rei Pelé, e praticamente está rebaixado para a Série B de 2020. O duelo foi válido pela 36ª rodada do Brasileirão. 

O Azulão foi comandando à beira do gramado pelo técnico Jacozinho no lugar de Argel Fucks, que deixou o time azulino na mão, após a partida contra o Cruzeiro, para ir comandar o Ceará. Os gols do Bahia foram assinalados por Gilberto e Artur Caíke; enquanto Nilton marcou o gol do Azulão.

Com este resultado, o time azulino segue com 32 pontos, ainda na 18ª posição na tabela. E o Esquadrão de Aço fica com 48 pontos, ocupando a 11ª colocação.

Matematicamente, o clube alagoano chegará aos 38 pontos em caso de vitórias contra Chapecoense e São Paulo, pela 37ª e 38ª rodada do Campeonato Brasileiro Série A. A mesma pontuação do Ceará, que ocupa a 16ª posição. Com os dois resultados positivos, o Azulão iguala as mesmas dez vitórias do time cearense mas teria o descenso decretado pelo saldo de gols já que é preciso tirar uma diferença de 26 tentos em relação ao Vozão.

O próximo adversário do CSA será a Chapecoense, na quarta-feira (4), às 21 horas, na Arena Condá. Enquanto o Bahia vai enfrentar o Vasco, na quinta-feira (5), às 19h15, na Arena Fonte Nova.

O jogo

Apodi, no chão, foi um dos jogadores do CSA que perderam inúmeras chances de gol, frente a frente com o goleiro | FOTO: FELIPE NYLAND

A partida começou com o Bahia pressionando a Saída de bola do CSA, que estava recuado, marcado. Aos 5 minutos, o Azulão chegou assustando. Ricardo Bueno bateu cruzado e Apodi não chegou, para alívio dos baianos.

Aos 10 minutos foi o Bahia quem chegou com perigo. Gilberto recebeu a bola fora da área e chutou de longe, mas o goleiro Jordi defendeu. 

Aos 21 minutos, ocorreu um lance polêmico no Trapichão: Gilberto tentou o domínio, a bola saiu pela linha de fundo, mas o árbitro assistente mandou seguir. Na sequência, o centroavante cruzou para o meio da área e Élber fez o gol do Bahia. Só que o árbitro Vinícius Furlan levantou os braços e parou a jogada, anulando o gol.

Se esse gol do Bahia não valeu, o seguinte foi válido. E ele saiu aos 32 minutos, quando Flávio tocou para Gilberto na intermediária e o centroavante não perdoou: guardou a bola no fundo da rede de Jrodi, abrindo o placar para o Esquadrão de Aço: 1 a 0.

Jogadores do Bahia festejam gol de Gilberto, que abriu o placar sobre o CSA, no Rei Pelé | FOTO: FELIPE NYLAND

O CSA tentou aos 35 minutos. João Vitor descolou um belo lançamento para Apodi, que dominou a bola e soltou o canudo, mas viu Douglas fazer uma defesa espetacular. Aos 39 minutos, Dawhan recebeu o passe dentro da área, fez o giro e caiu pedindo pênalti, mas o árbitro não foi na onda dele e mandou o jogo seguir.

Aos 44 minutos, o Bahia quase fez o segundo gol. Artur Vitor levantou a bola na área, cobrando falta, e Lucas Fonseca, livre, deu um toque por cobertura, mas Jordi conseguiu dar um tapinha, mandando para escanteio.

O primeiro tempo foi até os 48 minutos. E nesse tempo, o CSA ainda tentou. Rafinha fez a cobrança da falta e Douglas afastou de soco, parcialmente. A bola ficou viva e o goleiro tricolor subiu novamente para fazer a defesa em dois tempos.

Após a cobrança da falta, o árbitro assinalou o fim do primeiro tempo, com a vitória parcial do Bahia sobre o CSA, por 1 a 0, com gol do alagoano Gilberto.

Etapa final

Com a derrota, Azulão está rebaixado à Série B do brasileiro de 2020 | FOTO: FELIPE NYLAND

No segundo tempo, o time baiano foi quem começou levando perigo. Aos 2 minutos, João Pedro cruzou rasteiro, achou Ronaldo que chutou e o goleiro azulino fez uma defesa espetacular, livrando o Azulão de levar o segundo gol.

Aos 7 minutos, o CSA tentou. Rafinha fez o cruzamento, Ricardo Bueno tentou o cabeceio, mas a zaga tricolor afastou. Na sobra, Nilton tentou o passe para dentro da área e não teve sucesso na jogada. Mas aos 9 minutos, Nilton teve sucesso e fez o gol de empate do Azulão: Rafinha caprichou na cobrança de escanteio e Nilton se antecipou na primeira trave para estufar as redes do Bahia, deixando tudo igual: 1 a 1.

Nilton fez o gol de empate do CSA com o Bahia e comemora com Dawhan: em vão | FOTO: FELIPE NYLAND

O CSA melhorou no jogo e tentava com perigo. E aos 17 minutos, o Bahia teve um jogador expulso de campo: Ronaldo, que deu uma entrada dura no tornozelo de Jean Kléber e recebeu o segundo cartão amarelo, sendo expulso.

Aos 23 minutos, em cobrança de escanteio de Rafinha, a bola passou por toda a grande área e ficou com Bustamante. O atacante levantou novamente na área e achou Castán, que dominou, mas não conseguiu fazer o chute.

O CSA era o dono do jogo, chegava sempre ao ataque e tentava o gol da virada. Aos 26 minutos, o Azulão chegou. Gilberto não conseguiu o domínio, a bola ficou com Bustamante que tocou para Alan Costa e o zagueiro arriscou um belo chute de fora da área, mas a redonda foi caprichosamente para fora. 

Ricardo Bueno tenta mais uma chance perdida do CSA de fazer o segundo gol sobre o time baiano FOTO: FELIPE NYLAND

Aos 27 minutos, nova tentativa do CSA. Ricardo Bueno colocou veneno na bola, de fora da área, e quase virou o jogo, pois a bola passou muito perto. Aos 30 minutos, veio a resposta perigosa do Bahia. Em cobrança de falta, Artur Vitor pegou bem na bola e acertou um chutaço no travessão. Aos 35 minutos, de novo o Azulão tentou, chegando com muito perigo. Rafinha chutou cruzado, Douglas deu um tapinha e “tirou o doce da boca” de Ricardo Bueno.

E como quem não faz leva, o CSA, que teve várias chances de fazer o gol da virada, acabou sofrendo o segundo gol do Bahia. Foi aos 40 minutos. Artur Vitor tocou para o xará, Artur Caíke, que mandou a bola no canto direito de Jordi: 2 a 1.

Aos 47 minutos, Rafinha levantou a bola na área, ela foi desviada e Douglas mandou para escanteio. O jogo foi até os 50 minutos, quando o árbitro apitou o seu final. E com a derrota por 2 a 1, o CSA está virtualmente rebaixado para Série B do Brasileiro.

CSA teve chances de fazer o gol da virada, mas não teve competência para tal e acabou desperdiçando | FOTO: FELIPE NYLAND

CSA – Jordi; Dawhan, Alan Costa, Luciano Castán e Rafinha; João Vitor, Apodi (Hector Bustamante), Nilton e Jean Kleber (Warley); Euller (Bruno Alves) e Ricardo Bueno. Técnico: Jacozinho.

Bahia – Douglas; João Pedro, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Gregore, Flávio, Ronaldo e Gilberto (Fernandão); Elber (Arthur Caíke) e Artur Vitor (Wanderson). Técnico: Roger Machado.

Árbitro: Vinícius Furlan (SP).

Auxiliares: Luiz Alberto Andrini Nogueira (SP) e Evandro de Melo Lima (SP).

Renda: R$ 94.501,00

Público pagante: 6.058

Público total: 7.371

Fonte: Gazeta Web


Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar