invest trade sao jose dos pinhais ganhar 2 mil por dia investimento trader planilha de risco opções binárias sites de sinais opçoes binarias grabriel texeira opções binárias quanto devo investir em opçoes para proteger minhas acoes quando opçoes binarias ficam com 95 licro get funded trading forex 60 minutes opçoes binarias estrategia utilizando o atr opçoes binarias o que são opções binárias para investir como acertar as velas em opções binárias us uk trade investment working group operação day trade horarios4 qual o melhor trade pra investir robô opções binárias center of gravity operar na bolsa day trade com mini indice
Home NotíciasEsportes Mãe de vítima do Ninho desabafa: ‘A diretoria tinha que ter o mínimo de humanidade’

Mãe de vítima do Ninho desabafa: ‘A diretoria tinha que ter o mínimo de humanidade’

Por Alagoas Brasil Noticias

Rykelmo foi uma das dez vítimas do incêndio no Ninho do Urubu (Foto: Alexandre Araújo)

Em fevereiro de 2019, um incêndio no Ninho do Urubu, CT do Flamengo, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, fez dez vítimas e interrompeu os sonhos de jovens atletas de se tornar jogador profissional de futebol. Uma das vítimas foi Rykelmo, de 16 anos, que atuava como volante. Em entrevista à Band Sports, a mãe dele, Rosana de Souza, relatou a dor quase um ano após a tragédia. 

– Minha vida é um vazio. Às vezes penso que não estou aqui de tanta dor e falta que meu filho me faz. Sinto falta do meu filho. Dei meu filho para tomarem conta, acreditei que eles seriam responsáveis. Mas meu filho se foi. Foram muito irresponsáveis. A dor é maior porque eu confiei meu filho ao clube. O Flamengo teve aplausos, troféus, prêmios… E o que nós tivemos esse ano? Choro, dor e um caixão – declarou Rosana. 

Quase um ano após a tragédia, a mãe de Rykelmo ainda não entrou em acordo com o Flamengo. Durante a entrevista à Band Sports, Rosana revelou que só recebeu dois meses de pensão do clube, no valor de R$ 5 mil, e que depois não recebeu mais. Ela ainda revelou que recusou ajuda psicológica e que não tem mágoa do clube, mas pediu mais humanidade da diretoria rubro-negra.

– (O Flamengo não ajuda em) nada. Não tenho ajuda psicóloga porque não aceitei. Tem a pensão que eles dizem ser R$ 5 mil, eu não tive. Recebi dois meses, mas não recebi mais. O Flamengo não entra em acordo, não vai até a família. Quer que caia no esquecimento. Para eles, quem tem valor, são esses que estão aí. Não tenho nada contra os jogadores ou a nação. A diretoria tinha que ter o mínimo de consciência e humanidade, e resolver esse problema. Fiz de tudo para entrar em acordo com o Flamengo, mas só recebi humilhação – finalizou a mãe de Rykelmo.

Fonte: Lance Net 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário