Acessível para poucos, o sonho de estudar no exterior, para conhecer melhor outros idiomas e outras culturas, pode ficar mais perto da realidade de estudantes da rede pública estadual de ensino de Alagoas. Ao final do recesso legislativo, os deputados devem analisar o projeto de lei, de origem governamental, criando o Programa Jovem Cidadão do Mundo.

O projeto irá ofertar de forma gratuita, por meio de bolsas, programas de intercâmbio internacional, supervisionados e custeados pelo Poder Público Estadual.

Encaminhada nesta quarta-feira (6) ao parlamento, pelo governador em exercício, Luciano Barbosa, a proposta visa ofertar programas de intercâmbio internacional aos alunos do Ensino Médio da rede pública estadual, custeados pelo Governo do Estado.

O PL detalha os requisitos para participação dos alunos, que devem participar de processo seletivo para preenchimento das vagas ofertadas, que poderá variar a cada ano, até 100 conforme disponibilidade orçamentária.

Além dos custos referentes ao curso de intercâmbio, serão pagas uma bolsa de instalação (para despesas com vestuário e demais despesas iniciais) no valor de R$ 2.500 e seis bolsas de manutenção, no valor de R$ 800 cada, que serão pagas no decorrer do programa, enquanto estiver residindo no exterior, para custear despesas.

O programa será de responsabilidade da Secretaria de Estado da Educação (Seduc). No texto publicado no Diário Oficial do Estado, o governador explica que, com o programa, os alunos terão oportunidade de estudar in loco outro idioma, “desenvolvendo a sua capacidade de autonomia e independência, ampliando seus conhecimentos e melhorando as condições de ingresso no mercado de trabalho com um currículo diferenciado”.