Saúde

“Máscaras de tecido representam uma barreira física contra o vírus”, diz médica infectologista

Por Gabriela Flores | 04/04/2020 | às 14:13 | Saúde

Devido à pandemia do coronavírus, no Brasil e em diversos outros países os equipamentos de proteção, como máscaras, estão escassos. Diante disso, o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, orientou as pessoas a utilizarem máscaras caseiras como forma de evitar o contágio ou a transmissão do vírus e reforçou que a recomendação é que máscaras cirúrgicas e N95/PFF2 sejam priorizadas para os profissionais e, assim, garantir a manutenção dos serviços de saúde.A iniciativa é louvável, já que devemos priorizar esses equipamentos para os profissionais da saúde, mas também pode ser uma opção barata para a população, já que as máscaras de tecido são reaproveitáveis. No entanto, é preciso tomar cuidados especiais.Em entrevista ao CadaMinuto, a médica infectologista Luciana Pacheco disse que as máscaras de tecido não servem para uso em ambiente hospitalar por causa do maior risco de contaminação, entretanto podem sim ser usadas nas ruas ou onde haja gente aglomerada como nos transportes públicos, já que elas representam uma barreira física contra o vírus.

Quanto à higienização, a médica comentou que lavar a máscara de tecido com água e sabão em pó já resolve. “O sabão já é um ótimo agente para a limpeza e a água sanitária, como tem o cheiro forte, pode acarretar alergias, visto que é algo que vai ser usado na face e pode irritar mucosas e olhos”.

O período de uso das máscaras de tecido é curto. No Ministério da Saúde há uma publicação que diz para trocar de duas em duas horas, no entanto, a infectologista chamou a atenção quanto ao tempo de uso e disse que “depende muito do ambiente e o que se está fazendo. Se a pessoa suar ou se dentro da máscara está ficando úmido, é preciso fazer a troca, caso contrário, ela perde o sentindo porque cria um ambiente propício para bactérias”, alertou Luciana Pacheco.

Iniciativa e responsabilidade

A artesã Mônica Rosa de Assis viu nesta recomendação não só uma oportunidade para ganhar uma renda extra, como também uma forma de contribuir para que o coronavírus não se propague e infecte as pessoas.

Considerando ser esta “uma necessidade mundial”, a artesã disse que as máscaras confeccionadas por ela são padronizadas e feitas para o público de qualquer idade”.

Em média, Mônica confecciona diariamente cerca de 100 máscaras, pois, conforme a recomendação, ela está trabalhando sozinha em seu ateliê. “O material utilizado é tecido ou TNT”, comentou ela.

Os valores são bastante acessíveis, considerando principalmente que as de tecido são reaproveitáveis. “As de TNT custam R$2,00 e as de tecido R$8,00 e podem ser adquiridas diretamente pelo Instagram @negarosaatelie ou através do whatsapp (83)99636-4747”, falou Mônica.

Higienização

As medidas de utilização e higienização das máscaras caseiras fazem a diferença para a eficiência da iniciativa. Desta forma, a Nota Técnica do Ministério da Saúde estabelece os seguintes cuidados:

1. O uso da máscara caseira é individual, não devendo ser compartilhada entre familiares, amigos e outros.

2. Coloque a máscara com cuidado para cobrir a boca e nariz e amarre com segurança para minimizar os espaços entre o rosto e a máscara.

3. Enquanto estiver utilizando a máscara, evite tocá-la, não fique ajustando a máscara na rua.

4. Ao chegar em casa, lave as mãos com água e sabão, secando-as bem antes de retirar a máscara.

5. Remova a máscara pegando pelo laço ou nó da parte traseira, evitando de tocar na parte da frente.

6. Faça a imersão da máscara em recipiente com água potável e água sanitária (2,0 a 2,5%) por 30 minutos. A proporção de diluição a ser utilizada é de 1 parte de água sanitária para 50 partes de água (Por exemplo: 10 ml de água sanitária para 500ml de água potável).

7. Após o tempo de imersão, realizar o enxágue em água corrente e lavar com água e sabão.

8. Após lavar a máscara, a pessoa deve higienizar as mãos com água e sabão.

9. A máscara deve estar seca para sua reutilização.

10. Após secagem da máscara utilizar o ferro quente na máscara e gardar em saco plástico.

11. Trocar a máscara sempre que apresentar sujidades ou umidade.

12. Descartar a máscara sempre que apresentar sinais de deterioração ou funcionalidade comprometida.

13. Aos sinais de desgaste da máscara deve ser inutilizada e nova máscara deve ser feita.

O Ministério da Saúde adere e reforça a iniciativa organizada pela sociedade, chamada “Máscara para Todos” (#Masks4All) e reforça o lema “Eu protejo você e você me protege”.

Fonte: Cada Minuto

Facebook Comments

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar