Brasil

Na Esplanada, residentes da saúde protestam contra salários atrasados

Segundo os manifestantes, já são 50 dias de vencimentos atrasados | Por Metrópoles | 21/05/2020 | 14:19

 
 

Na Esplanada, residentes da saúde protestam contra salários atrasados

FOTO: HUGO BARRETO/METRÓPOLES

 

Profissionais que compõem o Fórum Nacional de Residentes em Saúde (FNRS) fizeram, nesta quinta-feira (21/05), mais um protesto em frente ao Ministério da Saúde para que as bolsas-salário dos últimos dois meses sejam pagas a todos da categoria no Brasil. Segundo a entidade, são 80 dias de trabalho e 50 de atraso.

Os residentes estão em paralisação nacional desde o último dia 11 de maio e, segundo eles, a pasta não cumpriu o prazo informado pelo último ministro titular, Nelson Teich, que todos receberiam os valores atrasados até semana passada.

De acordo com Wagner Santos, 28 anos, residente na área de assistência social, a falta de pagamento dessas bolsas faz com que muitos desistam do trabalho que tem sido executado. Entre outras frentes, no combate ao novo coronavírus.

“Muita gente muda de cidade ou estado para fazer a residência e tem o sustento no salário que recebe. Sem o dinheiro não há como manter aluguel e outras despesas. Algumas pessoas estão voltando para as cidades delas”, relata.

O residente destaca que os manifestantes não queriam a greve, mas diante do cenário difícil em que se encontram, este foi o meio que a FNRS encontrou para pressionar o Ministério da Saúde. “Só vamos voltar quando todos receberem. Estamos realizando esse ato pois sabemos que muitos não têm mais condições de ir até o local da residência”, defende.

Além do pagamento imediato do salário e da garantia de equipamentos de proteção individual (EPIs), os residentes exigem reajuste da bolsa-salário que, segundo eles, não ocorre desde 2016. Também pede redução e requalificação da carga horária, que atualmente é de 60h semanais, entre outras solicitações.

O que diz o Ministério

Procurado, o Ministério da Saúde informou, por meio de nota, que “tem realizado todos os esforços para garantir a regularidade no pagamento de bolsas concedidas para Programas de Residência Médica e Residência em Área Profissional da Saúde dos cadastros iniciais que apresentaram inconsistências nas informações transmitidas pelos próprios residentes e ou instituições de ensino”.

A previsão, segundo a pasta, é de que as ordens bancárias das bolsas que ainda constam com dados inconsistentes informados pelos próprios residentes serão emitidas até o fim desta quinta-feira (21/05). “O pagamento dependerá dos prazos de compensação de cada instituição financeira”, finaliza o comunicado.

Fonte: Gazeta Web 

Facebook Comments

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar