Irritado com a confusão que se tornou o futebol carioca e a Ferj, em meio a pandemia do novo coronavírus, o técnico Paulo Autuori pediu demissão do Botafogo por não querer participar do retorno conturbado do Campeonato Carioca. Mas foi convencido pela diretoria e voltou atrás. A informação é do site de “O Globo”.

Autuori fez duras críticas à Federação, considera o campeonato um jogo de cartas marcadas e vai para a partida contra a Cabofriense indignado: “Eu vou sob protesto. Não aceito passar por bobo e otário“.

– Ferj para mim não é a Federação do Estado do Rio de Janeiro, é a federação dos espertos do Rio de Janeiro. Não têm parâmetro nenhum, vivem aqui nessa coisinha futebol do Rio, no campeonato sem público. Só dá público nas semifinais e finais de turno. Eu conheci três presidentes de federação, que foram Otávio Pinto Guimarães, depois passou o Eduardo Viana e agora o Rubens Lopes. E eu não vejo qualquer tipo de evolução. É uma federação que não tem ideias. O que eu acho é que é uma grande mamata ali. Um feudo. Não vejo absolutamente nada em termos de ideias. Enquanto a federação paulista tem ideias e tenta coisas novas. Enquanto eu estava no Santos, eles convocavam dirigentes, treinadores, preparadores físicos, sabe? Escutavam todos para formular a tabela do campeonato. Aqui na federação carioca eles definem por eles próprios – afirmou Autuori a “O Globo”.

Pedido de demissão de Autuori

O treinador revelou que pediu demissão do cargo no Botafogo, como os dirigentes haviam afirmado que aconteceria se o campeonato voltasse em junho.

– Eu pedi pra sair. Na quarta-feira é que decidi que não ia mais, porque me convenceram que podia prejudicar o Botafogo. Apenas senti o quão difícil poderia ser para eles e eu tive que me sacrificar para não prejudicar. Mas meu objetivo era não dar continuidade. Dizer: não quero participar disso. Isso é uma bandalheira que está acontecendo. A federação chamou os clubes pra tomar decisão deixando Botafogo e Fluminense de lado, convocando reunião na calada da noite, às escondidas. Eu acho que esse campeonato é carta marcada – declarou.

– O que te leva a marcar jogo às 11h da manhã com os times voltando de 90 dias (parados)? Eu quero colocar essa questão. Por que o jogo do Botafogo foi marcado para às 11h da manhã? Não pensei em sair. Eu saí mesmo. Fiquei dois dias e quarta à noite em reunião com o comitê gestor que decidi voltar – completou.

Fonte: Fogão Net