Home Alagoas Arquidiocese de Maceió autoriza reabertura de igrejas a partir de 15 de agosto

Arquidiocese de Maceió autoriza reabertura de igrejas a partir de 15 de agosto

Por Alagoas Brasil Noticias

Reabertura marca o início da festa da Padroeira de Maceió / FOTO: DIVULGAÇÃO
A Arquidiocese de Maceió anunciou, no final da tarde desta sexta-feira (31), por meio de uma live nas redes sociais, que as igrejas, estão autorizadas a retomar as atividades religiosas presenciais a partir do dia 15 de agosto, marcando o início da festa da padroeira da Arquidiocese, Nossa Senhora dos Prazeres.

No momento, o Arcebispo Metropolitano de Maceió, Dom Antônio Muniz, apresentou o plano diocesano para a retomada das celebrações. Ele ainda pediu que os fiéis obedeçam as regras estabelecidas pelos protocolos sanitários de combate ao novo coronavírus (Covid-19).

“Abrir as portas da igreja é fácil, contudo é preciso aprender um novo estilo de vida e combate ao vírus do egoísmo e dos interesses. Para isso, a igreja se faz presente como mãe”, disse o Arcebispo. 

Entre outras medidas, tendo em vista os decretos publicados pelo Governo de Alagoas e o plano de Distanciamento Social Controlado, a Arquidiocese pede que a população acima de 60 anos fique em casa, mesmo que não tenha registro de algum problema de saúde. Já as pessoas com qualquer comorbidade, como diabetes, obesidade, asma, hipertensão, entre outros, devem manter um cuidado redobrado para prevenção (veja a lista completa de medidas abaixo).

Dom Antônio Muniz ressaltou que as regras para reabertura das igrejas foram amplamente discutidas e estudadas por uma comissão formada por médicos, padres e religiosos. “Se todos os segmentos da sociedades contribuírem, nos venceremos todas as pandemias que aconteçam. Estamos considerando com muita seriedade as informações, orientações da Organização Mundial da Saúde e da Organização Internacional do Trabalho para prevenção da Covid-19 na sociedade”, concluiu.

Lista de regras para a reabertura das igrejas:

  • Igrejas devem disponibilizar os assentos com pelo menos 1,5 metro de distância entre as pessoas, com as devidas marcações, e disponibilizar álcool em gel 70% na entrada;
  • o uso de máscaras dentro do templo é obrigatório;
  • as portas e janelas devem permanecer abertas durante as celebrações, inclusive para a entrada e a saída dos fiéis, de modo a favorecer um fluxo mais seguro e evitar que as portas sejam tocadas;
  • o protocolo estabelece a limpeza pelo menos três vezes nos dias em que houver missas; limpeza dos objetos litúrgicos, assim como microfones, pedestais, e outros materiais ao fim de cada celebração;
  • na entrada da igreja, deve ser colocado um cartaz com as indicações essenciais, entre as quais não devem faltar: o número máximo de participantes em relação à capacidade do espaço e as medidas de higienização;
  • as reuniões pastorais devem ser realizadas apenas quando necessárias, dentro dos mesmos protocolos de saúde pública quanto à higiene e distanciamento social;
  • catequese de adultos e crianças fica suspensa durante esta fase e as igrejas devem permanecer abertas mesmo quando não haja celebração, para oração pessoal dos fiéis.
  • a quantidade do público presencial deve ser reduzido, seguindo às diretrizes da diocese, tendo como sugestão as inscrições. Elas devem ser individuais, podendo ser realizadas por e-mail, valendo apenas para a missa dominical.


    Fonte: Gazeta Web 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário