Home NotíciasSaúde Vacina tríplice viral reduz sintomas de covid-19, indica estudo da UFSC

Vacina tríplice viral reduz sintomas de covid-19, indica estudo da UFSC

Por Alagoas Brasil Noticias

Resultados preliminares vieram após estudo com profissionais de saúde / Diarinho 

Os primeiros resultados do estudo do uso da vacina tríplice viral contra a covid-19 em Santa Catarina mostram redução dos sintomas da doença para quem recebeu a imunização. Dos voluntários da pesquisa, 83% dos vacinados que se infectaram foram assintomáticos. Já entre os que tomaram placebo, o número caiu para 50% dos participantes que disseram não ter sentido nenhum sintoma.

O estudo é feito por pesquisadores da universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e do hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago, com apoio da fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc). Segundo o coordenador do projeto, o médico Edison Fedrizzi, nessas primeiras semanas foi percebido um alto percentual de pessoas infectadas, gerando os dados iniciais da pesquisa.

Os resultados preliminares apontam para um maior número de pessoas sem sintomas entre os que receberam a tríplice viral, vacina que é usada para prevenção da caxumba, rubéola e sarampo. “Isso nos dá uma evidência, ainda longe de ser definitiva, de que essa vacina realmente pode proteger contra a evolução da infecção ou mesmo a sua prevenção”, analisa Edison.

A pesquisa iniciou há 45 dias. No primeiro mês, foi realizado o cadastramento de todos os voluntários. A primeira turma é de aproximadamente 400 profissionais da saúde da região de Florianópolis, que estão mais expostos ao novo coronavírus. Segundo o pesquisador, a ideia é divulgar, a partir de agora, os resultados parciais todos os meses. A conclusão da pesquisa está prevista para o final de dezembro.

O estudo do uso da tríplice viral contra a covid-19 é um dos cinco projetos aprovados pela Fapesc pro desenvolvimento de pesquisas no combate à pandemia e aos efeitos do coronavírus na saúde. Só o projeto recebeu R$ 100 mil pra conduzir o trabalho. No total, a fundação está investindo cerca de R$ 2,2 milhões em ações contra a doença. Outras pesquisas envolvem a criação de testes mais seguros, abertura de novo laboratório e produção de tecido pulmonar.

Casos em quedas na região

Até sábado, Santa Catarina contava com 218.633 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus, dos quais 208.547 estão recuperados e 7.244 permanecem em acompanhamento. Desde o início da pandemia, 2.842 óbitos foram causados pela doença.

Joinville lidera o número de casos, seguido de Florianópolis, Blumenau, Itajaí, São José e Balneário Camboriú. Dos 1.522 leitos de UTI do SUS no estado, 905 estavam ocupados, com 202 deles por pacientes com confirmação ou suspeita de covid-19.

Na região de Itajaí, são 26.834 infectados e 452 mortes registradas até do dia 03 de outubro. De acordo com a coordenadoria Regional de Defesa Civil, houve um aumento de 13,7% dos casos de contágio em setembro, representando 3.216 novos infectados na região. O número de mortes aumentou em 9,4% no mês, com 39 mortes em setembro.

Os dados confirmam a queda das taxas de contágio e de fatalidades pela doença na região, em comparação com o mês anterior. Em agosto, foram 6.996 novos infectados (aumento de 43,1%) e 147 novas mortes (alta de 55,8%). O percentual de ocupação das UTIs pra covid também caiu em setembro, baixando de 37% pra 28%, nos hospitais de Itajaí e de Balneário Camboriú.

Fonte: Diarinho 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário