Anadia/AL

26 de julho de 2021

Anadia/AL, 26 de julho de 2021

Relator da ONU denuncia intimidação de Bretas contra advogados

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 21 de outubro de 2020

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
dd
Diego Garcia-Sayan e Marcelo Bretas (Foto: ABr)

  Em uma carta enviada ao governo brasileiro, o relator da ONU sobre Independência do Judiciário, Diego Garcia-Sayan, questionou as operações desencadeadas contra advogados e  a imparcialidade do juiz Marcelo Bretas e sua aproximação com Jair Bolsonaro. 

Segundo reportagem do blog do jornalista Jamil Chade, o documento foi protocolado na segunda-feira (19) e o governo não se pronunciou até o momento. Na carta, Garcia-Sayan questiona as ações da Polícia Federal, autorizadas por Bretas, contra diversos advogados, incluindo Cristiano Zanin, que atua na defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

“Estou alarmado com uma aparente estratégia de alguns promotores e juízes de intimidar advogados por fazerem seu trabalho, particularmente quando estes defendem políticos”, escreveu o relator da ONU no documento. 

“Parece que os advogados Roberto Teixeira e Cristiano Zanin Martins foram visados como parte desta estratégia coordenada”, ressaltou. “A forma espetacular como a polícia realizou as buscas – com ampla cobertura de jornalistas que haviam sido avisados previamente – parece ser parte de uma estratégia destinada a desacreditar os advogados diante de seus pares, clientes e o público em geral”, avaliou Garcia-Sayan, segundo a reportagem. 

Ele também citou as supostas ligações entre Marcelo Bretas e Jair Bolsonaro ao destacar que “em 17 de setembro, o Órgão Especial do Tribunal Regional Federal da 2ª Região decidiu por esmagadora maioria – por votação a 12 contra 1 – que o apoio aberto demonstrado pelo juiz ao Presidente do Brasil era incompatível com suas obrigações profissionais”.

O relator também destacou  que para manter a confiança no sistema judicial “é necessário que os juízes se abstenham de qualquer atividade política que possa comprometer sua independência ou comprometer a aparência de imparcialidade”.

Os questionamentos foram feitos poucos dias depois que os advogados Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira denunciaram os supostos abusos cometidos por autoridades à ONU. 

Fonte: Brasil 247 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter