Anadia/AL

16 de setembro de 2021

Anadia/AL, 16 de setembro de 2021

‘Consequência de suas escolhas’, diz família de youtuber morta em acidente

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 10 de novembro de 2020

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
ss

Amanda da 160 em uma de suas motos Imagem: Reprodução/Instagram | Abinoan Santiago | 20:25

A morte, aos 22 anos, da youtuber Amanda de Andrade Maturana, mais conhecida como a Amanda da 160, deixou a família “destroçada”. É o que diz a tia da vítima, Rosemeyre Pelisson. A jovem perdeu a vida em um acidente, em Londrina, no Paraná, em 6 de novembro, enquanto pilotava a nova moto comprada dias antes para exibição em seu canal. Amanda da 160 estava em alta de velocidade quando bateu em um canteiro central e sofreu diversas fraturas. Segundo a Polícia Militar (PM), o acidente aconteceu após o acidente aconteceu após perseguição durante uma ocorrência de um suposto racha. A Polícia Civil investiga se a jovem participava do evento clandestino. 

Em nota, a tia de Amanda da 160 considerou que a morte da youtuber —apaixonada por motos e que mantinha um canal sobre a rotina pilotando o veículo por Londrina— “foi consequência” da própria adrenalina que a jovem buscava.

“Confesso que estamos destroçados e que sua morte foi em consequência de suas escolhas, ingenuidade talvez quanto ao perigo e risco de vida quando buscamos ‘adrenalina’ para nos dar prazer, quando há tantas formas de prazeres saudáveis na vida”, escreveu.

O UOL entrou em contato com a tia por telefone para que comentasse sobre a morte da sobrinha e aguarda retorno. Rosemeyre informou que pediria permissão da mãe de Amanda para saber se a família se manifestará além da nota já publicada.

No comunicado, a tia revela que a mãe da Amanda da 160 luta há dois anos contra um câncer e a paixão da sobrinha por motos a deixava sempre em alerta. “Ainda debilitada e acamada, procurava sempre chamar atenção da filha, ligava para saber onde ela estava, sempre preocupada, sempre em oração. Isso incluía o pai, as irmãs, sempre preocupados”, disse. 

Rosemeyre frisou que Amanda era “muito especial” para a família e cheia de “talentos imensuráveis”, além de “meiga e carinhosa com todos”, o que faz a perda ser ainda mais dura aos parentes e amigos. Ela ainda fez um pedido. “Peço a Deus que toque no coração dos jovens para que procurem preservar a vida, pois são egoístas quando pensam que a vida é só deles. A vida de cada um é a extensão da família. Suas escolhas podem gerar muita dor e sofrimento”, finaliza a tia. 

A família informou que a missa de sétimo dia está marcada para amanhã, na Capela Santa Isabel, a partir das 19h30.

Polícia busca de imagens de Amanda antes do acidente Nas redes sociais, Amanda publicou, horas antes do acidente, um stories em um bar e outro em uma rua mostrando várias motos enfileiradas. A investigação ainda não descobriu se a youtuber estava alcoolizada, pois aguarda o laudo do Instituto Médico Legal (IML).

A Polícia Militar informou que a viatura foi acionada por volta das 23h para acabar com um suposto racha de motos e carros na Avenida Expedicionários. Ao verem os policiais, os veículos seguiram em várias direções para não serem abordados. Amanda da 160 teria sido uma das pessoas que fugiu da abordagem. 

Ela conseguiu despistar a viatura. Minutos depois, a mesma equipe policial foi acionada para atender um acidente de trânsito. A vítima era a jovem, que não teria visto um canteiro central e se acidentado no cruzamento das Avenidas União Soviética com Iugoslávia.

O caso é investigado pela Delegacia de Trânsito de Londrina. O inquérito já ouviu duas testemunhas, que confirmaram ter visto Amanda da 160 em alta velocidade quando sofreu o acidente. 

A Polícia Civil busca agora confirmar se Amanda da 160 estava no racha relatado pela PM. “Estamos tentando coletar imagens de câmeras de segurança para saber se realmente ela estava participando deste grupo de motociclista que estariam praticando racha próximo ao local do acidente. Essas duas testemunhas já informaram que ela estava em alta velocidade e possivelmente se confundiu no cruzamento das vias”, disse ao UOL o delegado Antônio Silvio Cardoso.

A princípio, o delegado acredita que a morte de Amanda da 160 não tenha participação de terceiros.

“Estou acostumando com a moto”, disse youtuber dias antes.

Amanda da 160 conduzia uma Yamaha XJ6 de 600 cilindradas. Ela havia adquirido o veículo uma semana antes. Em seu canal no YouTube, a influencer publicou em 31 de outubro o momento que o recebeu das mãos da concessionária.

Dois dias depois de comprar a moto, ela publicou em seu canal, em 1 de novembro, o primeiro “motovlog” — vídeo gravado com uma câmera no capacete enquanto o motorista dirige. Na ocasião, Amanda comentou que ainda estava se acostumando com o novo veículo, pois o número de cilindradas era bem superior ao de sua antiga moto, a de 160 cilindradas que lhe rendeu o apelido.

“Estou acostumando com a moto, não estou acelerando muito que nem louca porque ela é bem mais pesada. O pé estabiliza bem no chão, mas é bem mais pesada. Eu tinha uma 160 cilindradas e é muito diferente dessa aqui. Estou muito feliz com essa moto. Foram 40 e poucos dias esperando e finalmente saiu”, comentou em um trecho da gravação.

Amanda já havia sofrido um acidente em março. Ela contou que caiu ao frear para não bater em um carro em uma rotatória. Por causa disso, teve que imobilizar um dedo.

Amanda tinha 74,6 mil inscritos no canal do YouTube, com quase dois milhões de visualizações totais de vídeos. No Instagram, 54,6 mil seguidores acompanhavam o cotidiano da influencer.

Depois da sua morte, porém, os números aumentaram. Agora, seu perfil conta com mais de 82 mil inscritos no YouTube. Já no Instagram, ganhou mais de 30 mil seguidores.

Fonte: Uol 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter