robôs de negociação opções binárias em português forex ou opcoes binarias? harrison investimentos day trade operar day trade nova futura passo a passo margem para operar swing trade em di plataformas para operar opçoes binarias estrategia rsi mma em opçoes binarias iq option opções binárias me poupe robo de operação olymp trade como operar next page trade curso online gratuito de opções binárias tryd trader xp investimentos tryd simulador conta demo opções binárias blue trade invest marco tulio fxeducator forex trading youtube video poste trader operando queda price action avançado opções binárias
Home Mundo Morte de João Alberto é ‘ato deplorável’, diz alta-comissária da ONU

Morte de João Alberto é ‘ato deplorável’, diz alta-comissária da ONU

Por Alagoas Brasil Noticias

A Alta Comissária da ONU para Direitos Humanos, Michelle Bachelet

FOTO: DENIS BALIBOUSE/REUTERS | 10:57

A porta-voz de Michelle Bachelet, Alta Comissária da ONU para Direitos Humanos, se pronunciou nesta terça-feira (24) sobre a morte do João Alberto Silveira Freitas, que foi assassinado por seguranças em uma loja do Carrefour em Porto Alegre.

“Esse ato deplorável, que aconteceu tragicamente na véspera do Dia da Consciência Negra no Brasil, deve ser condenado por todos”, afirmou Bachelet em comunicado divulgado por sua porta-voz, Ravina Shamdasani.

“O assassinato de João Alberto Silveira Freitas, um afro-descendente espancado até a morte por dois seguranças particulares na cidade de Porto Alegre, no sul do Brasil, é um exemplo extremo, mas infelizmente muito comum, da violência sofrida pelos negros no país”, afirmou a alta-comissária da ONU.

“[O crime] oferece uma ilustração nítida da persistente discriminação e racismo estruturais que as pessoas de ascendência africana enfrentam”, afirmou Bachelet. “O governo tem uma especial responsabilidade de reconhecer o problema do racismo persistente no país, pois este é o primeiro passo essencial para resolvê-lo”.

A declaração ocorre após o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, afirmar depois da morte de João Alberto que, “no Brasil, não existe racismo”: “É segurança totalmente despreparado para a atividade que ele tem que fazer […] Para mim, no Brasil não existe racismo. Isso é uma coisa que querem importar aqui para o Brasil. Isso não existe aqui”.

A alta-comissária da ONU afirmou também que “o racismo, a discriminação e a violência estruturais que os afrodescendentes enfrentam no Brasil são documentados por dados oficiais, que indicam que o número de vítimas afro-brasileiras de homicídio é desproporcionalmente maior do que outros grupos” e “os dados também mostram que os afro-brasileiros, incluindo mulheres, estão sobre representados na população carcerária do país”.

Bachelet pediu que a investigação sobre o assassinato de João Alberto seja “rápida, completa, independente, imparcial e transparente” e examine o viés racial no crime para “assegurar a justiça e a verdade”.

Ela pediu também que autoridades investiguem denúncias de uso desnecessário e desproporcional da força contra pessoas que protestam pacificamente após a morte de João Alberto.

Fonte: Gazeta Web 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário