bjf trading group forex what is a breakout in forex trading estrategias para investir em binarias qual cartao de credito para operar como trader foto forex trading como operar 5 minutos em opções binárias assistente operações trade marketing curso para operar em opções binárias gratis como operar vendido swing trade clear corretora usando meta trader para operar optionbr2 brasil trader investimentos logo forex trading statistics o que é um trader os melhores investimentos compra e venda opções binarias como operar pelo meta trader margin and leverage in forex trading
Home NotíciasEconomia Com queda de quase 7%, produção agropecuária de Alagoas soma R$ 2,8 bilhões

Com queda de quase 7%, produção agropecuária de Alagoas soma R$ 2,8 bilhões

Por Alagoas Brasil Noticias
 

Produção agropecuária tem queda de quase 7% em Alagoas | Felipe Brasil/Arquivo | 15:16

A produção agropecuária alagoana alcançou um valor bruto de R$ 2,86 bilhões em 2020, segundo levantamento divulgado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O volume representa uma retração de 6,7% em relação a 2019, quando o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) alcançou R$ 3,07 bilhões. De acordo com os dados, o montante de 2020 representa 0,3% do VBP nacional de 2020, que alcançou R$ 871,3 bilhões, tornando-se o maior da série histórica desde 1989.

Sozinho, o VBP alagoano da cana-de-açúcar, que atingiu R$ 1,54 bilhão, representa 53,8% do total da produção alagoana. Apesar disso, o volume registrado no ano passado representa uma retração de 20,8% em relação a 2019, quando o VBP do setor alcançou R$ 1,9 bilhão. Em segundo lugar aparece a produção de bovinos, que alcançou R$ 485,5 milhões, seguida da produção de laranja (R$ 168,7 milhões), mandioca (R$ 150,3 milhões), banana (R$ 128,4 milhões), leite (R$ 105,4 milhões) e ovos (R$ 95 milhões).

Com um valor bruto de R$ 134.2 bilhões, o Mato Grosso registrou a maior produção agropecuária no ano passado – com 15,4% do total. Em seguida aparecem o Paraná (R$ 117,1 bilhões), São Paulo (R$ 106,4 bilhões), Minas Gerais (R$ 96,1 bilhões) e Rio Grande do Sul (R$ 73,6 bilhões). Juntos, esses estados foram responsáveis por 60,5% de toda a produção nacional. Na outra ponta, o Amapá aparece com o menor VBP entre os estados brasileiros, com R$ 154,6 milhões – o correspondente a 0,2% da produção nacional. Em seguida aparecem Roraima (939,1 milhões), Distrito Federal (R$ 1,5 bilhão), Rio Grande do Norte (R$ 1,9 bilhão) e Sergipe (R$ 2,02 bilhões).

Em todo o País, as lavouras tiveram faturamento de R$ 580,5 bilhões, alta de 22,2%, e a pecuária, de R$ 290,8 bilhões, incremento de 7,9%. De acordo com nota técnica ministério, os produtos que mais contribuíram para o resultado foram o milho, com crescimento real de 26,2%, a soja, com 42,8%, a carne bovina, com 15,6%, e a carne suína, com 23,7%. O faturamento da soja, do milho e da carne bovina foi de R$ 243,7 bilhões, R$ 99,5 bilhões e R$ 126,3 bilhões, respectivamente. Destaca-se ainda a contribuição positiva da produção de ovos em 2020. Segundo a pasta, as variáveis determinantes para os resultados estão relacionadas aos preços dos produtos no mercado interno, às exportações favoráveis para grãos e carnes e à produção da safra de 2020.

PRODUÇÃO

As primeiras estimativas para 2021 indicam crescimento do VBP de 10,1% (R$ 959 bilhões). Os principais destaques são arroz (17,3%), batata inglesa (22,1%), cacau (14,7%), mandioca (10,9%), milho (17,7%) e soja (24,4%). Há ainda boas expectativas para a pecuária, em especial bovinos, suínos, frangos e leite. O ranking dos principais produtos em 2021 aponta para a soja, o milho, café e algodão, responsáveis por 82,6% do faturamento esperado para as lavouras. Na pecuária, bovinos, frangos e leite devem liderar os resultados do VBP, com participação de 85,9% no faturamento. A lista dos estados campeões na agropecuária deve permanecer com Mato Grosso, Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

VBP

O Valor Bruto da Produção Agropecuária mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento. É calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil. O valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) da Fundação Getulio Vargas. A periodicidade é mensal, com atualização e divulgação até o dia 15 de cada mês. As informações são da Agência Brasil.

Fonte: Gazeta Web 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário