Brigando diretamente pelo acesso, o CSA mediu forças contra o Brasil de Pelotas, que já não tem mais objetivos nesta Série B. E mesmo jogando em seus domínios e com o favoritismo a seu favor, o Azulão encontrou dificuldades diante do Xavante e apenas empatou em 1 a 1, resultado que deixou os alagoanos em situação em que não depende apenas dele para conseguir o acesso. 

A matemática do CSA agora é a seguinte: com o empate, o time chegou a 57 pontos, perdeu o G-4 na rodada e agora depende de um tropeço do Juventude na última rodada para garantir o acesso. Mas o Azulão precisa fazer sua parte e vencer seu jogo contra o Náutico.

Em caso de derrota do Juventude e empate do CSA, as equipes terão a mesma pontuação e o saldo de gols vai fazer a diferença. Tanto os gaúchos quanto os alagoanos terão o mesmo número de vitórias, no outro quesito de desempate, o Azulão leva vantagem com 13 gols de saldo contra nove do Juve. 

JOGO ESTUDADO E SEM PERIGO AOS GOLEIROS

Apesar do Brasil apenas cumprir tabela nas últimas rodadas da Série B, o Xavante não facilitou a vida do CSA, que está no páreo pela elite com o Juventude. A equipe gaúcha fez um sistema de deixar todos jogadores atrás do meio-campo quando o CSA estivesse no ataque e dificultou muito a vida do Azulão, mas não sem deixar de atacar. Aos 16 minutos, foi Matheus Oliveira quem teve a chance em um chute forte que assustou Matheus Mendes.

Até a metade do primeiro tempo, o CSA não conseguiu chutar a meta do goleiro Marcelo, o time era lento no ataque para a criação de jogadas. Pouco para quem luta pelo acesso. Somente aos 26 minutos foi que o Azulão fez sua primeira tentativa em chute de Gabriel, que o goleiro xavante encaixou bem.

PRESENÇA ILUSTRE NAS TRIBUNAS

A Rainha do futebol, Marta, foi flagrada pelas câmeras do SporTV nas tribunas do Estádio Rei Pelé. Apesar de ter começado no futebol no Vasco, ela é torcedora de coração do CSA.

BRASIL SAI NA FRENTE

Com muitas dificuldades no jogo, o CSA via o Brasil de Pelotas ter mais chances de ataque e parecia que era o Xavante que buscava o acesso. Tanta insistência dos gaúchos ocasionou em gol. Aos 37 minutos, Bruno José recebeu passe na direita e avançou até a meia-lua, onde arriscou de perna esquerda e balançou as redes.

GOL NA HORA CERTA

No segundo tempo, o CSA continuava encontrando dificuldades para ser agressivo ofensivamente e furar a defesa xavante. O Brasil, inclusive, teve a primeira chance de perigo logo no primeiro minuto com Matheus Oliveira. 

Mas aos 10 minutos, uma falta de longe fez o CSA entrar novamente no jogo. Rafinha cobrou ao melhor estilo Roberto Carlos, a bola desviou no caminho em Rodrigo Pimpão e acabou no fundo das redes. 

JOGO MORNO 

Após o gol, as equipes mantiveram a boa movimentação da partida com troca de passes e chegadas no ataque, mas o perigo aos goleiros ficou devendo. Tanto Brasil quando CSA se defendiam bem. Sobrou para os treinadores modificarem seus times. 

Rafael Bilú e Andrigo entraram aos 26 minutos e Dellatorre entrou dois minutos mais tarde na tentativa de mudarem a dinâmica do duelo. 

BOLA NO TRAVESSÃO

Após cruzamento de escanteio aos 36 minutos, Diego Ivo subiu mais que a zaga do CSA e acertou o travessão de Matheus Mendes. Dois minutos depois, o Xavante teve nova chance com Matheuzinho, que recebeu na área e chutou rasteiro. O goleiro do Azulão salvou a equipe. 

FICHA TÉCNICA

CSA X BRASIL-RS – 37ª RODADA DO BRASILEIRO DA SÉRIE B
Estádio: Rei Pelé, em Maceió (AL)
Data: 22 de janeiro de 2020, às 19h15
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR)
Assistentes: Bruno Boschilia (Fifa-PR) e Luciano Roggenbaum (PR)
Gramado: Bom
Cartões amarelos: Rodrigo Pimpão, Geovane e Cleberson (CSA) / Mateus Mendes e Felipe Albuquerque, Matheuzinho, Pablo e Jarro Pedroso (BRA)

GOLS: Bruno José, 37’/1ºT (0-1); Rafinha, 10’/2ºT (1-1)

CSA (Técnico: Mozart)

Matheus Mendes; Diego Renan, Cleberson, Luciano Castán e Rafinha (Norberto, aos 18’/2ºT); Geovane, Yago (Pedro Junior, aos 19’/2ºT), Nadson (Rafael Bilú, aos 26’/2ºT) e Gabriel; Rodrigo Pimpão (Andrigo, aos 26’/2ºT) e Pedro Lucas (Rone, aos 40’/2ºT).

BRASIL-RS (Técnico: Cláudio Tencati)

Marcelo; Felipe Albuquerque (Rodrigo Ferreira, aos 41’/2ºT), Héverton, Diego Ivo e Mateus Mendes; Gustavo Cazonatti, Pablo, Bruno Matias (Rafael Vinícius, aos 41’/2ºT) e Matheus Oliveira; Matheusinho e Bruno José (Jarro Pedroso, aos 18’/2ºT). 

Fonte: Lance Net gG