simulador de investimento em ações fast trade gratuito melhor plataforma para opcoes binarias como operar day trade a noite a three dimensional approach to forex trading pdf download aicep portugal global trade investment agency como operar o olymp trade money boys trading indicador forex flanders investment & trade são paulo cnpj day trade invest securitizadora day trade investimento minimo livro opcoes binarias operando opções np day trade operações de trade finance operar day trade com 10.000 lista de todos os corretores de opções binárias regulamentados ddfx forex trading system is forex trading really profitable
Home NotíciasEconomia Itaú erra, transfere quase R$ 1 milhão indevidos no Pix, e processa bancos para reaver dinheiro

Itaú erra, transfere quase R$ 1 milhão indevidos no Pix, e processa bancos para reaver dinheiro

Por Alagoas Brasil Noticias

Itaú cometeu erro. (Foto: REUTERS/Sergio Moraes) |  Marcus Couto | 11:26

O Banco Itaú cometeu uma falha “grave” e sistêmica no final do ano passado que levou a transferências indevidas de quase R$ 1 milhão por meio do Pix, o novo sistema de transferências instantâneas de valores do Banco Central.

O erro fez com que as transferências fossem duplicadas, segundo informações de documentos obtidos pelo site Cointelegraph e repercutidas pela Exame.

O problema estaria na integração do sistema do Itaú com o do Banco Central. O valor total de transferências indevidas foi de R$ 966.392.

Na lista bancos que receberam as operações duplicadas há sete instituições: Banco do Brasil, Bradesco, Sicred, Bancoob, Nubank, Banco Original e Banco Inter.

“Em razão de um erro sistêmico, foram realizadas transferências indevidas e, portanto, em excesso, para as contas bancárias dos bancos favorecidos (em simples explicação: houve débito de X e crédito de X + X) (…) Esse tipo de falha sistêmica ocorre com alguma frequência no âmbito das instituições financeiras”, diz o Itaú no documento obtido pelo Cointelegraph.

Agora, o Itaú entrou com um processo contra esses bancos, alegando que eles sabiam da falha, mas não atuaram no sentido de repará-la.

“Os Réus, ainda que cientes da falha sistêmica quando o valor ainda estava sob a sua ingerência, ao invés de devolverem o valor indevido ao Autor, permitiram a liquidação dos créditos nas contas dos correntistas destinatários.”

Para tentar corrigir a falha, então, o Itaú entrou em contato diretamente com seus clientes, pedindo para que eles contatassem os destinatários para devolução.

“Alguns valores foram recuperados”, diz o Itaú. “Em paralelo, o Autor enviou e-mails aos Réus (outros bancos), onde relatou o ocorrido, especificou os valores e solicitou o imediato estorno. (…) A questão operacional poderia ser resolvida se os Réus não tivessem sido omissos, mesmo cientes do erro sistêmico.”

Em nota enviada à Exame, o Itaú disse que os clientes que tiveram débitos duplicados foram “reembolsados imediatamente”:

“O Itaú Unibanco não comenta processos que correm em segredo de justiça. O banco esclarece, no entanto, que os clientes que tiveram débitos em duplicidade em razão de uma falha operacional pontual foram reembolsados imediatamente. O banco ressalta, ainda, que o acionamento judicial é uma medida usual entre as instituições nesse tipo de situação, pois traz segurança jurídica para que elas façam os estornos das contas creditadas indevidamente.”

Fonte: Yahoo Finanças  

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário