aprender opçoes binarias presencial preços no rio de janeiro russian forex trading system quais as opçoes de investimentos no multimercado como ser trade operações e sacar sem burocracia trocar de corretora de opções binárias declarar operações negativas day trade melhor empresa de opçoes binarias melhor plataforma para opcoes binarias quanto tenho que ter na conta pra operar day trade supply and demand forex trading indicador opçoes binarias free como operar mini indice com a corretora active trader planilha de investimento trader irrf nas operações day trade como investir no mini indice pela olymp trade forex signal system trading forex trading methods
Home NotíciasPolicia Mulheres de Palmeira dos Índios terão app para denunciar violência doméstica

Mulheres de Palmeira dos Índios terão app para denunciar violência doméstica

Por Alagoas Brasil Noticias
 (Imagem: Dicom TJAL) | 22:52

Estudantes de Direito da Faculdade Cesmac do Sertão desenvolveram um aplicativo para que mulheres possam fazer denúncias de violência doméstica. Com a plataforma instalada, se estiverem sendo agredidas, bastam alguns cliques para acionar a polícia e compartilhar a localização em tempo real, de forma rápida e discreta.

O app, que recebeu o nome “Não”, é uma iniciativa da  Liga Acadêmica de Direito Digital do Cesmac. O Tribunal de Justiça de Alagoas apoia o projeto e assinou termo de cooperação com a Liga, visando contribuir com a implementação e divulgação da ferramenta.

O aplicativo aguarda autorização da Polícia Militar para começar a funcionar em Palmeira dos Índios. A presidente da Liga Acadêmica, Isabelle da Silva Mendes, diz que o sistema está à disposição para ser instalado em outras cidades, em bases de polícia ou guarda municipal.

Estudante do 7º período de Direito, Isabelle conta que a Liga foi criada em abril de 2020, já no contexto da pandemia de Covid-19. “Dentro da liga, surgiu a ideia de ajudar as mulheres vítimas de violência doméstica, visto que nesse período de isolamento, a situação para essas mulheres ficou muito mais difícil. O tempo delas ao lado de seus agressores dobrou”.

Além da função de poder chamar a polícia com discrição, o app permite que as vítimas enviem fotos e vídeos para provar as agressões. Os arquivos só poderão ser acessados pela Polícia. É possível ainda cadastrar números de pessoas próximas, que também serão contactadas automaticamente no caso de uma emergência.

“Uma grande preocupação da liga acadêmica era a acessibilidade. Ele foi feito num formato para que qualquer pessoa consiga acessar. Onde tem um texto, também tem uma imagem, uma cor. Então, da pessoa mais instruída à menos favorecida, vai conseguir pedir ajuda”, ressalta Isabelle.

A estudante destaca a importância da parceria com o Tribunal de Justiça. “A partir do momento que o Tribunal de Justiça abraçou a ideia, tudo foi fluindo com muito mais agilidade. Aproveito para agradecer ao magistrado André Parizio, que buscou a ajuda no Tribunal, e ao ex-presidente, desembargador Tutmés Airan”

O aplicativo será gratuito e estará disponível nas lojas Play Store (para celulares Android) e App Store (Iphone).

Fonte: Tribuna Hoje

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário