trader brasil investimentos rj rio de janeiro forex oxigen trading system eudes opções binárias vitinhu h operando opçoes binarias melhor corretora pltaforma opções binárias na bolsa de valores 2016 ferramentas opções binarias forex trading platform singapore tipos de analise de investimento para operações no day trade home broker xp investimentos day trade grafico cálculo de volume de velas opções binárias opções binárias é falsa forex e trading opçoes binarias estrategia martingale opçoes binarias vale apena vende antes de expirar opções binárias planilha de trader investimentos excel trader forex opções binárias
Home Geral Luminária de UV para destruir coronavírus detecta pessoas no ambiente

Luminária de UV para destruir coronavírus detecta pessoas no ambiente

Por Alagoas Brasil Noticias
Renata Baptista | Imagem: Signify/Divulgação | 21:04

Enquanto a vacina contra a covid-19 não chega para todos, várias indústrias têm desenvolvido produtos que ajudam no combate ao vírus. No último mês, a Philips lançou no Brasil uma luminária de mesa que promete desativar vírus, bactérias, fungos e esporos em minutos. Como sua luz faz mal para a saúde de animais e humanos, a luminária tem sensores de presença para interromper seu funcionamento se perceber alguém por perto.

O forte desta luminária é o uso da radiação UV-C, que já é reconhecida por sua eficácia para eliminar os vírus em geral, e está em uso há mais de 40 anos como método de desinfecção de água, efluentes, ar, produtos farmacêuticos e superfícies.

A luz ultravioleta (UV), invisível ao olho humano, é dividida em três tipos de acordo com a fração do espectro eletromagnético que abrange os comprimentos de onda abaixo da luz visível: UV-A, UV-B e UV-C. Na UV-C, que é germicida, o comprimento de onda fica no intervalo de 100-280 nanômetros (nm). Na lâmpada da luminária em questão, o comprimento é 253 nm.

O vírus é composto por uma camada proteica e material genético. Ao incidir nos vírus, a UV-C destrói tanto a camada como o material genético, inativando o microrganismo. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) só recomenda que a luz ultravioleta não seja a única alternativa para desinfetar ambientes.

Testes com a lâmpada UV-C da luminária da Philips foram conduzidos pelos Laboratórios Nacionais de Doenças Infecciosas Emergentes (NEIDL) da Universidade de Boston, e comprovaram a sua efetividade, com redução de mais de 99% do vírus SARS-CoV-2 em uma superfície após o tempo de exposição de 25 segundos.

Antes de sair correndo e desembolsar os R$ 1.299 sugeridos pelo fabricante, é preciso assegurar que a luminária seja usada corretamente para aumentar a sua eficiência e diminuir os riscos. Se sua luz UV atingir os olhos, por exemplo, pode causar desde catarata até queimaduras severas da córnea. Se o contato for com a pele, pode causar lesões que podem até evoluir para um câncer.

Na prática

A luminária de mesa UV-C da Philips mede 12 x 12 x 25 cm e pesa pouco menos de 1 kg, sendo de fácil transporte. Ele é bivolt e possui um cabo com 2,9 metros de comprimento. A lâmpada tem autonomia para 9.000 horas de uso. O painel de controle é bem simples e intuitivo, com um guia de voz em português. Sua indicação de uso é somente para ambientes domésticos.

Para iniciar a desinfecção com a luminária, é preciso desbloqueá-la, apertando o botão de início por três segundos. Em seguida, é necessário configurar o timer de acordo com as dimensões do local e apertar no botão de início novamente.

Você pode selecionar sessões de 45 minutos (indicado para uma área de cerca de 28 m², como uma sala), de 30 minutos (para ambientes com cerca de 20 m², como um quarto) ou 15 minutos (para locais com cerca de 13 m², como um banheiro). No final das sessões, você é “avisado” pela luminária e já pode entrar no ambiente que foi desinfectado sem problemas.

Para minimizar os riscos no manuseio da UV-C, a luminária conta com alguns mecanismos de segurança que impedem seu funcionamento na presença de pessoas e animais. Um deles é o uso de sensores de movimento —são três, sendo um principal e dois reservas que entram em ação em caso de falha— com alcance de um raio de três metros.

O professor Vanderlei Bagnato, diretor do Instituto de Física de São Carlos (IFSC), da Universidade de São Paulo (USP), destaca que os usuários devem estar atentos ao fato de que a UV-C vai desinfectar ar, superfícies e líquidos que sejam diretamente expostos à luz, não atuando em possíveis “sombras”.

Se no ambiente a ser higienizado estiver uma caixa, por exemplo, é possível que a luz não atinja todas as suas faces, ou a parte inferior.

O cientista, que tem liderado projetos com esta tecnologia, afirmou ainda que o uso contínuo da UV-C em determinados ambientes pode provocar danos em objetos. “Objetos de plástico, por exemplo, poderão perder a cor e se tornar quebradiços com o tempo”, explicou.

Segundo o especialista, se feito de forma correta, o uso de luminárias UV-C, como a da Philips, ajuda a diminuir os riscos de contato com o novo coronavírus, mas não descarta outros cuidados para prevenção da doença, como lavar as mãos com água e sabão regularmente, usar máscaras e fazer distanciamento social.

Fonte: Uol

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário