Depois de sete meses preso, suspeito de participação em um homicídio, o tenente-coronel Rocha Lima já está em liberdade. No vídeo publicado nesta quinta-feira, dia 25, em sua rede social, o militar aparece deixando o Batalhão da Rádio Patrulha.

Na publicação feita em seu perfil no Instagram, Rocha Lima diz que foram longos sete meses longe da família e dos amigos. “Não deixei o desânimo me abater e em nenhum momento deixei de acreditar na Justiça dos homens e principalmente na Justiça Divina”, afirmou. 

O militar encerrou sua publicação dizendo que agora está de volta ao convívio dos seus familiares e segue de cabeça erguida, aguardando que a verdade prevaleça.

O pedido de habeas corpus, de Rocha Lima foi  concedido ontem, 24, após a votação favorável dos desembargadores do Tribunal de Justiça de Alagoas José Carlos Malta Marques e Washington Luiz Damasceno Freitas. O desembargador João Luiz Azevedo Lessa votou contra e Sebastião Costa Filho se declarou suspeito.

O caso

Rocha Lima foi preso na quarta-feira, dia 22 de julho de 2020, suspeito de participação no homicídio de Luciano de Albuquerque Cavalcante. No mesmo dia, o militar foi exonerado do cargo de comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar. 

Além de Rocha Lima, também foi preso o tenente da reserva da PM José Gilberto Cavalcante Góis. Conforme informações da polícia, após buscas realizadas na residência do militar da reserva, foi encontrada uma pistola Glock 380, Modelo G-25, que estava sem registro e uma espingarda calibre 12, com o registro vencido.

O tenente da reserva foi conduzido à Delegacia de Homicídios para serem realizados os procedimentos cabíveis e, em seguida, foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para exame e depois foi levado ao Presídio Militar.

Já o tenente-coronel Rocha Lima foi também conduzido ao IML para exame e em seguida à sede do BPRp.

Fonte: Cada Minuto