Home Geral Ministra Cármen Lúcia sabotou ordem de soltura de Lula sob orientação de Deltan Dallagnol

Ministra Cármen Lúcia sabotou ordem de soltura de Lula sob orientação de Deltan Dallagnol

Por Alagoas Brasil Noticias

Foto: Reprodução – 17:44
A então presidenta do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, informalmente, sabotou a decisão do desembargador Rogério Favreto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em julho de 2018, que mandava soltar o ex-presidente Lula –preso político desde 7 de abril daquele ano.

Favreto era plantonista do TRF4 e acatou pedido de habeas corpus apresentado pelos deputados federais petistas Wadih Damous (RJ), Paulo Pimenta (RS) e Paulo Teixeira (SP). No entanto, a decisão durou poucas horas –sem que fosse cumprida.

Não havia decisão judicial que cassasse o habeas corpus concedido pelo desembargador Favreto, do TRF4, mas o submundo operou para manter a prisão política, eleitoral e ilegal de Lula.

“Precisamos que o presidente do TRF suspenda. Vou ligar pra PF pra pedir pra não cumprir. Orientação do Gebran [Neto, desembargador] é que a PF solte se não vier decisão do presidente do TRF”, orienta Deltan Dallagnol, então coordenador da Lava Jato. “Pedi pra PF segurar” a soltura, complementa.

“Falei com [Maurício] Valeixo agora, seguem segurando. Estão em contato com o TRF tbm [também].”

Entre vacilos e titubeios, o presidente do TRF4, Thompson Flores, interveio e determinou que Lula continuasse preso na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba –onde o petista permaneceu inconstitucionalmente detido por 580 dias.

“É teeeetraaaa. Decisão assinada”, comemorou Deltan Dallagnol.

Fonte: Blog do Ismael


Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário