Anadia/AL

27 de outubro de 2021

Anadia/AL, 27 de outubro de 2021

Polícia encerra festa com aglomeração em SP; 200 pessoas são detidas

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 6 de março de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
xxz

Festa na Penha acabou com 200 detidos | Imagem: Divulgação | Ed Rodrigues | 16:23 

Uma ação da Vigilância Sanitária, em parceria com a Polícia Civil, encerrou uma festa clandestina com cerca de 200 pessoas no bairro da Penha, São Paulo. Segundo a polícia, a organização do evento esperava por 1,5 mil pessoas. A blitz também encontrou drogas com os participantes no local.

A abordagem faz parte dos trabalhos do governo de São Paulo no combate à pandemia do novo coronavírus. Segundo a Vigilância Sanitária, 43 estabelecimentos foram autuados na madrugada de hoje por descumprirem as normas que proíbem aglomerações.

“Encontramos dezenas de pessoas sem máscaras. Agimos para evitar que este tipo de situação se repita”, disse diretora do Centro de Vigilância Sanitária estadual, Cristina Megid.

A festa clandestina, que ocorria na avenida Amador Bueno Veiga, na Penha, terminou com todo mundo detido. O grupo deve pagar multas e ser liberado em seguida.

“Por falta do uso de máscara, que é obrigatória, a multa é de R$ 5.278 por estabelecimento, por cada infrator. Já as pessoas em espaços coletivos também podem ser multadas em R$ 551,00 pelo não uso da proteção facial”, disse Megid.

A diretora ressaltou que o propósito das blitze é educativo, mas o descumprimento das orientações gera sanções.

“Nossas ações visam sobretudo à mudança de comportamento e ao respeito às normas sanitárias para proteção coletiva, e não miram a punição, embora isto possa ser realizado se a lei for descumprida”, finalizou.

Até o próximo dia 19, São Paulo vive uma fase mais restritiva da quarentena. A Secretaria da Saúde do estado apela para a contribuição da população e o respeito às novas regras.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo para ter mais informações sobre as detenções. No entanto, o órgão ainda não se pronunciou.

Fonte: Uol 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter