Diversos diretores dos principais departamentos da Fundação Palmares se demitiram, nesta quinta-feira (11), da instituição. Eles alegaram falta de diálogo com Sérgio Camargo, presidente da entidade.

A lista inclui Ebnézer Nogueira, diretor de Fomento e Promoção da Cultura Afro Brasileira; Roberto Castelo Braz, coordenador geral de Gestão Interna; e Raimundo Chaves, coordenador geral do Centro Nacional de Informação e referência da Cultura Negra.

Os três diretores afirmam que tiveram as decisões ignoradas após “inúmeras tentativas de interlocução com a presidência”. “Como diretores e coordenadores dos departamentos que compõem a instituição, fomos voto vencido mesmo sendo a maioria em decisões cruciais ao bom andamento de projetos, ações de mudança de sede e demais políticas públicas que poderiam ser entregues à população até este momento”, diz o documento.

As demissões de Ebnézer, Roberto e Raimundo representam a saída de praticamente todo o colegiado da Fundação Palmares. Eles tinham sido nomeados aos cargos por possuírem perfis mais conservadores.

“Coerentes com nossos princípios morais e políticos, tomamos uma difícil decisão de desligamento de nossos cargos por não encontrarmos mais viabilidade de diálogo entre os diretores e o Presidente”, acrescentaram na carta.

Motivo da saída 

Segundo a CNN, o estopim da saída dos direitos foram divergências em relação à mudança da sede da Fundação em Brasília. A maioria do colegiado não concordou com a proposta apresentada. Segundo os coordenadores, o projeto – orçado em mais de R$ 700 mil – foi elaborado a toque de caixa e não inclui todas os problemas estruturais que o local apresenta.

Fonte: IG / Último Segundo