Foto: Márcio Ferreira | Estado reabre Hospital de Campanha e amplia leitos para o combate à Covid-19 | 17:11


Alagoas ganhou mais 142 leitos clínicos para pacientes infectados pelo novo coronavírus. As vagas estão disponíveis no Hospital de Campanha Dr Celso Tavares, reaberto nesta terça-feira (30) pelo governador Renan Filho e pelo secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres. Durante a entrevista coletiva, o governador sinalizou que não deve flexibilizar as medidas de distanciamento social no próximo decreto que será anunciado nesta terça-feira (30), às 17h, no Palácio República dos Palmares.

“Estamos percebendo que as medidas de distanciamento começam a gerar efeitos e já reduziram a ocupação da rede hospitalar. Observamos também os internamentos em UTI caírem e isso deixa claro que precisamos manter um pouco mais essas medidas para que a gente não veja em Alagoas as pessoas morrerem por falta de UTI, como tem acontecido em outros estados do Brasil”, disse. 

E o secretário de Saúde Alexandre Ayres acrescentou: “A gente permanece em atenção com o crescimento dos casos, mesmo sentindo os efeitos de uma leve estabilidade nos números por conta da vacinação e também das medidas restritivas. Temos feito um esforço muito grande antes de colapsar e com mais esses 150 leitos passaremos a 60% de ocupação de leitos gerais; sem dúvida nenhuma é o melhor percentual entre os estados do Brasil, mas isso não significa que devemos relaxar”.

Hospital de Campanha

A unidade, localizada no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, no bairro Jaraguá, em Maceió, conta ainda com oito salas de estabilização para pacientes que tiverem o quadro clínico agravado pela Covid-19, totalizando 150 novos leitos para tratar a doença.

De acordo com o governador, o hospital foi desativado em setembro do ano passado em decorrência da queda nos números da doença. “Chegamos a ter 1500 leitos no auge da pandemia, mas reduzimos esse número no segundo semestre para evitar despesas desnecessárias. Agora estamos abrindo novamente porque entendemos que o momento é delicado e estamos fazendo isso sem colapso na saúde. Isso demonstra o planejamento do Estado e eu espero que assim a gente consiga atenuar os efeitos da segunda onda”.

Para montar o Hospital de Campanha, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) investiu R$ 1.668.925,00. Cerca de 500 profissionais vão compor a equipe e o diferencial da unidade é a usina de oxigênio, que vai abastecer de forma independente os 142 leitos clínicos e as oito salas de estabilização, funcionando 24 horas por dia e com capacidade de gerar 13 m³ de oxigênio por hora.

“Por mais que tenhamos um colapso na rede de abastecimento do país, no Hospital de Campanha nosso oxigênio é independente e a gente está pronto para atender os pacientes encaminhados para cá. Essa usina e vários equipamentos que estão aqui ficam como legado para o estado e serão aproveitados na ampliação da nossa rede”, afirmou o secretário Alexandre Ayres.

Fonte: Cada Minuto