Anadia/AL

27 de outubro de 2021

Anadia/AL, 27 de outubro de 2021

_’Verdadeiros democratas não apagam fatos ou fotos’

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 1 de abril de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
XX1

Presidente Jair Bolsonaro -Foto: EVARISTO/SA 09?18

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) defendeu nesta quarta-feira (31) a legalidade da deposição de João Goulart da Presidência da República em 1964, ato que deu início à ditadura militar, que durou até 1985.

Nas redes sociais, no aniversário de 57 anos do golpe militar, Bolsonaro criticou a decisão do Congresso de anular a sessão de 2 de março de 1964, que deu contornos formais à deposição de Jango.

“Em abril de 2013, o Congresso anulou a sessão de 02 de abril de 64, que destituiu o presidente João Goulart. Não discuto a História, mas verdadeiros democratas não apagam fotos ou fatos. Deus abençoe o Brasil e guarde nossa liberdade”, escreveu.

Naquela sessão, o senador Auro de Moura Andrade, então presidente do Congresso Nacional, declarou vago o cargo de presidente, argumentando que João Goulart havia fugido do país. O presidente, no entanto, estava no Rio Grande do Sul. Como Goulart não havia se ausentado, o Congresso Nacional decidiu em 2013 que era ilegal o ato de Andrade, que transferiu o cargo ao presidente da Câmara, Ranieri Mazzilli.

Ainda em abril, Mazzilli foi substituído por uma Junta Militar e o Brasil só voltaria a ter um presidente civil em 1985, com a posse de José Sarney. E o primeiro presidente democraticamente eleito em 1990, com a posse de Fernando Collor de Mello.

Durante a sessão de 2013, quando o Congresso anulou a deposição de João Goulart, o então senador Pedro Simon (MDB-RS) fez um relato de caráter pessoal, relembrando que estava com o então presidente em Porto Alegre quando foi declarada a sua ausência do país.

O presidente Jair Bolsonaro também participou da sessão, como deputado federal. Segundo o site do Senado, Bolsonaro foi o único parlamentar a ser contrário à proposta, que foi aprovada de forma simbólica. O hoje presidente afirmou que a deposição não foi de caráter militar e sim uma decisão legislativa que deveria ser mantida.

 
 
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter