Home » Nos pênaltis, Bahia supera o Ceará e conquista o Nordeste pela quarta vez em sua história

Nos pênaltis, Bahia supera o Ceará e conquista o Nordeste pela quarta vez em sua história

Por Alagoas Brasil Noticias

Alex Torres e Jeferson Jesus* Foto: Felipe Oliveira – EC Bahia – 19:54
O Nordeste se coloriu em azul, vermelho e branco. Na tarde deste sábado, 8, o Bahia venceu o Ceará no tempo regulamentar, pelo placar de 2 a 1, na Arena Castelão, na tarde deste sábado, 8, e conseguiu levar a decisão para as penalidades. Nas cobranças, o Esquadrão levou novamente a melhor, por 4 a 2, e trouxe o título para o estado da Bahia.

O Bahia precisava vencer a todo custo na capital cearense. Na partida de ida, o atacante Jael entrou em campo aos 42 minutos do segundo tempo e, nos acréscimos, marcou o gol decisivo em cobrança de falta. No jogo de volta, Rodriguinho e Gilberto marcaram para o Esquadrão, mas Jael diminuiu para o Alvinegro e levou para as penalidades. Marlon o Jorginho desperdiçaram para o Ceará, e coube aos pés de Conti garantirem o título do Tricolor na última batida.

Com o resultado, o Bahia chegou ao seu quarto título da Copa do Nordeste e igualou aos Vitória como as duas equipes que mais vezes conseguiram erguer a ‘Orelhuda’ da Lampions League. Além disso, o time comandado por Dado Cavalcanti ainda colocou um fim no jejum contra o Vozão, que já perdurava por quase três anos.

Agora, o foco da equipe principal do Esquadrão se volta para a Copa Sul-Americana. Na próxima quinta-feira, 13, os comandados de Dado Cavalcanti encaram o Deportivo Guabirá-BOL, no Estádio Municipal Gilberto Parada, na cidade de Montero, na Bolívia.

O jogo

O início da partida se deu com o Esquadrão conseguindo boas investidas pelo lado direito do campo, em subidas de Renan Guedes, que substitui Nino Paraíba, após suspensão no jogo de ida, mas a defesa alvinegra conseguia afastar sem perigo. No entanto, a primeira grande chance foi do Vozão, aos 10, em escanteio que Oliveira cabeceou com muito veneno para Matheus Oliveira espalmar.

O momento do Vozão era melhor nos primeiros 20 minutos de jogo. A equipe comandada por Guto Ferreira pressionava a saída de bola tricolor e conseguia avançar em velocidade pelos lados. Aos 18, Lima fez boa trama pela esquerda rolou na linha de fundo para Vina chegar batendo com muito perigo. Na sequência, em escanteio, Vina quase marca um gol olímpico.

A primeira vez que o goleiro Richard precisou ‘sujar o uniforme’ foi aos 25 minutos, em cruzamento de Renan Guedes que ele encaixou sem grandes dificuldades. Dois minutos depois, o Esquadrão conseguiu chegar com mais perigo, com Matheus Bahia, que fez boa jogada pela esquerda e finalizou nas redes pelo lado de fora.

A resposta do Ceará veio aos 32, após lindo drible de Bruno Pacheco em cima de Renan Guedes e cruzamento na medida para Felipe Vizeu, mas o zagueiro Juninho conseguiu antecipar para afastar o perigo. Cinco minutos depois, o Esquadrão chegou muito bem em tabela de Thaciano e Rodriguinho, que o ‘camisa 10’ chutou raspando a trave de Richard.

Mendoza respondeu para o Vozão no minuto seguinte, em finalização de fora da área que passou por cima da meta de Matheus Teixeira. Os minutos finais do primeiro tempo ganhava contornos emocionantes e, aos 40, Thaciano finalizou duas vezes em sequência, mas Richard operou milagres para evitar que o placar fosse inaugurado.

No lance seguinte, aos 42, o Ceará teve bom contra-ataque que Vina saiu cara a cara com Matheus Teixeira. O meia ainda conseguiu driblar o arqueiro, mas terminou perdendo o tempo de bola na hora da conclusão e a defesa tricolor conseguiu afastar. Antes do apito final, o Esquadrão ainda teve mais uma chance, em cruzamento de Matheus de Bahia que Gilberto não conseguiu empurrar para o fundo das redes.

Segundo tempo

Para a segunda etapa, o treinador Guto Ferreira mexeu no setor de meio-campo. Tirou o volante Pedro Naressi e colocou o meia Fernando Sobral. Dado Cavalcanti, em contrapartida, não efetuou nenhuma mexida no intervalo.

Aos 3 minutos, Vina teve boa oportunidade em cobrança de falta, mas bateu mal e mandou por cima do gol de Richard. Aos 5, o volante do Esquadrão, Jonas, ficou caído no gramado e o comandante efetuou a primeira substituição, colocando Matheus Galdezani. A mexida fez com que o Tricolor perdesse um pouco do poder de marcação, mas compensasse nas saídas de bola.

Demonstração disso aconteceu logo aos 8, com o volante aparecendo para jogar a bola na área. Gilberto fechava para cabecear, mas Richard saiu bem para ficar com ela. Aos 14 minutos, em cruzamento na área do Ceará, a bola bateu na mão do zagueiro Luiz Otávio e o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, Rodriguinho deslocou Richard e abriu o placar para o Tricolor na Arena Castelão.

Com o gol do Bahia, o Ceará perdeu completamente a vantagem que tinha na partida. O resultado levava o duelo para as cobranças de penalidades máximas. Aos 24, o Vozão ainda teve um contra-ataque e Vina foi derrubado dentro da área. No entanto, dessa vez, o árbitro mandou o jogo seguir.

O Ceará tomou mais um duro golpe aos 25 minutos. Em contra-ataque puxado pelo Esquadrão, a bola sobrou para Gilberto que fuzilou a meta do goleiro Richard. Com o gol, o ‘camisa 9’ do Tricolor se isolou ainda mais na artilharia do certame regional, com oito gols marcados no total.

Após o segundo tento do Bahia, Dado Cavalcanti efetuou mais duas mudanças e deixou o time mais defensivo. Tirou o atacante Rossi e o meia Thaciano, para colocar o volante Lucas Araújo e o também meia Oscar Ruiz. Com o gol, o ‘tudo ou nada’ se invertia para o lado do Vozão, que precisa a todo custo, pelo menos, diminuir o placar da partida para se manter vivo na decisão.

Assim como no confronto de ida, o atacante Jael entrou no segundo tempo, aos 30 minutos. Aos 38, a estrela do centroavante brilhou mais uma vez e, de cabeça, ele diminuiu o placar para o Vozão. O time do Bahia não conseguiu reunir mais forças para chegar ao terceiro gol. Dessa forma, a decisão da Copa do Nordeste se encaminhou para as cobranças de pênaltis.

Nas batidas, Rodriguinho, Matheus Galdezani, Lucas Araújo e Conti marcaram para o Tricolor. Lima e Fernando Sobral fizeram para o Vozão, mas Marlon e Jorginho desperdiçaram. Assim, o time comandado por Dado Cavalcanti levou a melhor em 4 a 2 e ergueu a ‘Orelhuda’ da Lampions pela quarta vez em sua história.

Local: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)

Árbitro: Dênis da Silva Serafim (AL)
Assistentes: Esdras Mariano de Lima Albuquerque e Brigida Cirilo Ferreira (ambos de AL)
VAR: Pablo Ramon Goncalves Pinheiro (RN), auxiliado por Thayslane de Melo Costa e Cleriston Clay Barreto Rios (ambos de SE)

Cartões amarelos: Mendoza e Lima (Ceará); Daniel, Lucas Araújo, Matheus Galdezani e Juninho (Bahia).

Gols: Rodriguinho e Gilberto (Bahia); Jael (Ceará)

Ceará – Richard; Gabriel Dias (Cléber), Messias, Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Oliveira (Marlon), Pedro Naressi (Fernando Sobral) e Vina (Jorginho); Medonza, Lima e Felipe Vizeu (Jael). Técnico: Guto Ferreira.

Bahia – Matheus Teixeira; Renan Guedes, Conti, Juninho e Matheus Bahia; Jonas (Matheus Galdezani), Thaciano (Lucas Araújo) e Daniel (Edson); Rodriguinho, Gilberto (Thonny Anderson) e Rossi (Oscar Ruíz). Técnico: Dado Cavalcanti

Fonte: A Tarde – Salvador


Facebook Comments

você pode gostar