Anadia/AL

4 de agosto de 2021

Anadia/AL, 4 de agosto de 2021

Antonio Banderas reflete sobre sucesso: ‘Chegou quando não o persegui’

Por GyanCarlo

Em 20 de junho de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vv

Antonio Banderas, de 60 anos, é exemplo de alguém de sucesso. No cinema desde 1982, o astro de Hollywood tem mais do que a carreira no audiovisual consolidada. Além de outros projetos artísticos, ele é dono de sua marca homônima de perfumes, no mercado há cerca de 20 anos. Desta Vez, a Antonio Banderas Perfumes lança a fragrância masculina The Icon, que tem como principal proposta inspirar o sucesso.

Para a campanha, o astro convidou Mario Casas, ator e seu amigo de longa data. Foi Banderas quem deu a Casas sua primeira chance no cinema, em O Caminho dos Ingleses (2006). Agora, eles se unem mais uma vez e contam em entrevista exclusiva o que é ser um “ícone”.

“Sucesso, assim como estão as coisas [com a pandemia] é sobreviver. Basicamente se você sobrevive a tudo o que está acontecendo, desde já pode se considerar uma pessoa de sucesso. No nosso caso, sermos atores foi o sonho que tínhamos de chegar a ser profissionais como forma de vida, eu acho que constitui um sucesso”, acredita Banderas.

Já Casas diz que se inspira no colega como definição de alguém bem-sucedido. “Para mim, sucesso é Antonio Banderas. Ele é a clara imagem do sucesso. Além do mais, um sucesso natural, humilde e cavado com picareta e pá. A referência do êxito é Antonio Banderas”, elogia.

O veterano do cinema acredita que alcançou sucesso ainda no começo da carreira, mas que isso veio de forma espontânea. “Acredito que o tive quando eu não o persegui. O sucesso profissional, eu percebi ter alcançado no terceiro ou quarto filme. Era já um fato, pois os produtores me chamavam de novo. Se os produtores te ligam é porque o seu trabalho está funcionando com o público, e os agentes começaram a acreditar em mim. Na minha experiência foi pelos anos 1983 ou 1984, quando apertei o botão e ‘fui embora'”, brinca ele.

A experiência de vida de Banderas foi moldando seus gostos. O artista diz que se reúne com os perfumistas de sua marca para discutir fragrâncias e que, para ele, o perfume ideal precisa fazê-lo se sentir “como se vestisse sofisticação”.

“Eu não sei como fazer perfumes, mas sei que isso tem seus componentes básicos. A gente [a equipe] tem encontros com os perfumistas e eles perguntam coisas da personalidade [da nova fragrância], gostos, e com isso eles o vão ‘conceitualizando’ e colocam essencias, notas olfativas e vão unindo isso até que colocam tudo numa garrafa que tem seu cheiro”, explica.

“No início, meu gosto era um pouco mais fresco, porque eu era mais novo. Porém agora que sou mais velho, é muito mais complexo, profundo, me acompanha nesse sentido, como se vestisse um elemento de sofisticação que me representa perfeitamente”, diz ele, contando ainda qual o seu cheiro favorito. “Para mim, o cheiro da minha terra [Málaga, na Espanha], que são os cheiros do mar e da flor de laranjeira”.

Mesmo com a carreira consolidada, Banderas ainda procura o personagem da sua vida, aquele pelo qual gostaria de ser lembrado. “Não tenho ideia de qual seria esse personagem que estaria flutuando ali, que eu gostaria de interpretar. Sei sobre os personagens quando os tenho na minha frente, e eu sei que é algo que me interessa, porém não tenho o personagem ideal para representar. Tem algumas coisas de teatro que posso ter interesse. Personagens de teatro me atraem mais do que de cinema”, admite.

Fonte: Gazeta Web 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter