Anadia/AL

4 de agosto de 2021

Anadia/AL, 4 de agosto de 2021

Sindpol vai protocolar pedido de exoneração do presidente do AL Previdência

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 21 de junho de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
rs=w_600,h_400,i_true,cg_true,ft_cover (1)

Por Tatianne Brandão, com Arnaldo Ferreira / Presidente do Sindpol, Ricardo Nazário –  Foto: Reprodução / Publicado: às 11:47

O “rombo” ou “déficit” do AL Previdência ainda é motivo de dúvidas de entidades ligadas aos servidores públicos de Alagoas. O Sindicato da Polícia Civil de Alagoas (Sindpol), por exemplo, cobra mais transparência dos gestores, inclusive, a entidade deve protocolar no governo do estado um pedido para que o presidente do AL Previdência, Roberto Moisés, seja exonerado do cargo. Além do rombo de R$ 31,5 bilhões em Alagoas, o presidente também foi apontado como um dos responsáveis pelo déficit na previdência de servidores do Rio de Janeiro, após CPI da Assembleia Legislativa do RJ (Alerj).
“O Sindpol irá protocolar o pedido de exoneração do presidente Roberto Moisés. Pela transparência pública, pela boa gestão dos recursos da previdência dos servidores públicos, o governo do estado tem que exonerar o atual presidente do AL Previdência, porque, uma pessoa que está envolvida, já foi apontada pela CPI da Assembleia dos deputados do Rio de Janeiro, como um dos responsáveis pelo rombo no Rio, como esse cidadão pode estar gerindo a previdência dos servidores de Alagoas? Não existe o menor cabimento mantê-lo. Então, o Sindpol quer a exoneração do presidente”, afirmou Ricardo Nazário, presidente do Sindpol.

Nazário também critica a falta de informações sobre o rombo que o governo do estado alega ter na previdência, que motivou a reforma e o desconto de 14% dos aposentados e pensionistas.

“A falta de informação é preocupante para todos os servidores públicos. Inclusive, voltando um pouco atrás, na reforma da previdência que o governo do estado mandou para a Assembleia com o desconto dos 14%, até hoje nenhum servidor sabe do cálculo atuarial, do déficit verdadeiro do rombo que o governo alega ter no AL Previdência, nenhum servidor público sabe a realidade e se é verdade”.

Ele pede mais transparência dos atuais gestores. “Na verdade, a gente queria que fosse mais transparente e que o secretário da Fazenda fizesse uma audiência pública e explicasse para os servidores a real situação da previdência. A gente viu que o governo do estado vai fazer um aporte de milhões para um fundo, uma previdência complementar, mas os servidores não têm muita explicação do que é e não pode ser assim. O governo está tratando da vida de mais de 70 mil servidores que podem ter seu futuro prejudicado por ingerência ou mau uso da previdência dos servidores públicos”.

O secretário George Santoro deve ser ouvido sobre a questão do AL Previdência nesta segunda-feira, na Assembleia Legislativa. A audiência estava marcada para o período da manhã, mas foi adiada para as 16h.

Fonte: Gazeta Web


Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter