Ponteiro da seleção francesa de vôlei, Earvin Ngapeth acusou o técnico da Polônia, Vital Heynen, de racismo contra seguranças da bolha sanitária da Liga das Nações montada em Rimini, Itália. Além do treinador, Ngapeth também revelou xingamentos do oposto polonês Kubiak durante o confronto que terminou com a vitória francesa.

– Vital Heynen usou o termo “navio negreiro” para descrever as pessoas de cor (que cuidam de sua segurança na bolha sanitária). É claramente racismo. Há testemunhas. Para não falar dos diversos insultos do Sr. Kubiak (filho da p…) durante o jogo da noite passada. Obrigado por mostrar ao mundo que tipo de pessoa faz parte do nosso mundo – escreveu.

O técnico polonês nega as acusações.

– Dessa vez, quero reagir a coisas escritas na internet. Nunca fiz nenhum insulto racista a ninguém em toda a minha vida. Pelo contrário, acredito fortemente na igualdade de todas as pessoas, independentemente da cor da pele, religião ou origem. Obrigado – publicou em uma rede social.

Em posicionamento oficial, a FIVB prometeu apurar os possíveis  insultos.

– A FIVB tem conhecimento de comentários feitos nas redes sociais por um jogador da seleção masculina de vôlei (Ngapeth). A FIVB está investigando alegações de comportamento discriminatório. Se for constatado que há violação do Regulamento Disciplinar da FIVB, o caso será encaminhado ao Painel Disciplinar. Nenhum outro comentário será feito sobre este assunto até que a situação seja investigada e, se aplicável, o processo disciplinar concluído – afirmou.

Fonte: Lance Net