Anadia/AL

26 de julho de 2021

Anadia/AL, 26 de julho de 2021

Buscas por Lázaro Barbosa entram no 20º dia com cerco em bairro onde ele teria sido visto em Águas Lindas de Goiás

Por GyanCarlo

Em 28 de junho de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vvvv

A força-tarefa que procura por Lázaro Barbosa começou esta segunda-feira (28), 20º dia de buscas, de forma intensa, com um cerco em um bairro de Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal, a cerca de 20 km de onde foi montada a base da operação. Ele é investigado por matar uma família de quatro pessoas em Ceilândia (DF) e por, pelo menos, outros sete crimes em território goiano.

Moradores do Setor Itamaracá, que preferiram não ser identificados, afirmam que, por volta de 21h de domingo (27), Lázaro foi visto, momento em que acionaram a corporação. Porém, ele conseguiu fugir pela mata. Já nesta madrugada, o cerco foi montado.

“Quando a polícia chegou, tentou negociar com ele, falaram: ‘Lázaro, conversa com a gente, vamos negociar’. Mas ele correu para o mato”, disse um morador.

Uma mulher foi vista entrando na mata com policiais que buscam pelo fugitivo. Segundo moradores, ela é ex-companheira de Lázaro.

Até as 6h40 desta segunda-feira, não havia informação se o fugitivo foi encontrado.

Buscas por Lázaro Barbosa completam 20 dias hoje

Os vizinhos afirmam que esta não é a primeira vez que Lázaro foi visto no setor. Eles relataram que, no sábado (26), o fugitivo esteve na mesma casa, quando denunciaram a situação à força-tarefa. Porém, os moradores alegam que não viram policiais no bairro.

O G1 pediu, por volta de 2h desta segunda-feira, informações à Secretaria de Segurança Pública sobre o cerco e a ação no setor, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

Moradores afirmam que mais de 20 viaturas chegaram ao setor após a denúncia. Um helicóptero e cães farejadores também auxiliam nas buscas nesta segunda-feira, sobrevoando a mata. Ao todo, são mais de 270 policiais envolvidos na força-tarefa.

Chácara onde houve cerco na tarde de domingo — Foto: Reprodução/G1 Goiás

Chácara onde houve cerco na tarde de domingo — Foto: Reprodução/G1 Goiás

Na tarde de domingo, policiais estiveram em uma chácara onde a casa estava revirada. Horas antes, no início da manhã, um morador afirmou que o viu nas proximidades da BR-070, em Cocalzinho de Goiás.

Anteriormente, a SSP-GO informou que investiga todas as informações que recebe.

Base da força-tarefa que procura por Lázaro Barbosa em Cocalzinho de Goiás — Foto: Eduardo Marins/TV Anhanguera

Base da força-tarefa que procura por Lázaro Barbosa em Cocalzinho de Goiás — Foto: Eduardo Marins/TV Anhanguera

Presos

Desde o início das buscas por Lázaro, a força-tarefa prendeu um fazendeiro, de 74 anos, e um caseiro, de 33, suspeitos de ajudar o criminoso a fugir dos policiais. Após a audiência de custódia, o funcionário investigado recebeu liberdade provisória. Já a prisão do idoso foi mantida.

De acordo com os registros policiais, o caseiro contou que Lázaro dormiu na propriedade por cinco noites e que não havia denunciado antes por medo. Advogado do funcionário da fazenda, Adenilson já havia dito ao G1 que o cliente não ajudou o fugitivo e não escondeu informações da polícia.

Consta no auto de prisão em flagrante dos dois suspeitos que o dono da propriedade não quis deixar os policiais entrarem ao ser abordado e preferiu ficar em silêncio durante o interrogatório.

Responsável pela defesa do fazendeiro, Ilvan Silva Barbosa negou que o idoso ajudou Lázaro a se esconder. Até a noite de domingo, ele seguia detido no presídio de Águas Lindas de Goiás, segundo o advogado.

Cronologia da fuga

  • 9 de junho: Lázaro invadiu uma chácara no Incra 9, em Ceilândia (DF), onde matou a tiros e a facadas um casal e dois filhos. Roubou a chácara após o assassinato da família. Ele teria rendido o caseiro, o dono da propriedade e a filha dele;
  • 11 de junho: Lázaro fugiu para Cocalzinho de Goiás logo em seguida;
  • 12 de junho: Ele atirou em quatro pessoas, invadiu fazendas e colocou fogo em uma casa ao fugir da polícia. Os feridos foram levados a hospitais da região;
  • 13 de junho: Furtou um carro e o abandonou na BR-070 após avistar uma barreira policial, dando sequência à fuga para uma mata;
  • 14 de junho: Caseiro de Cocalzinho de Goiás disse à polícia que atirou em Lázaro Barbosa após ele falar que ia entrar na casa. Chacareiro relatou que ele fugiu depois de ser atingido. Lázaro foi filmado no curral de uma fazenda entre os distritos de Edilândia e Girassol. A polícia acredita que ele passou a noite no local. O caseiro diz que o homem pediu comida e em seguida fugiu para a mata;
  • 15 de junho: Dois policiais militares de Goiás foram baleados durante buscas do suspeito. Delegado diz que Lázaro fez casal e adolescente reféns em Edilândia. Uma parente da família relatou os momentos de pânico;
  • 16 de junho: Lázaro Barbosa foi visto por um morador em uma área rural;
  • 17 de junho: a polícia retomou as buscas em matas da região e mudou a base de operação pela segunda vez. Houve nova troca de tiros e secretário de segurança pública acredita que ele esteja ferido;
  • 18 de junho: durante buscas o secretário de segurança pública disse que acredita ter visto Lázaro. Segundo PRF, ele foi visto em um chiqueiro durante a tarde, mas fugiu novamente para vegetação;

19 de junho: Houve uma grande movimentação de policiais na região de Águas Lindas depois que um morador afirmou ter visto Lázaro em uma gruta da região. No mesmo dia, a cadela que atuou nas buscas pelas vítimas da tragédia de Brumadinho chegou a Cocalzinho de Goiás;

  • 20 de junho: as buscas por ele foram intensificadas por policiais civis, militares e federais. Foram usadas três aeronaves e cinco cães farejadores na caçada;
  • 21 de junho: Pela manhã uma moradora denunciou que viu um homem, parecido com o fugitivo, passar por uma propriedade rural. Policiais e bombeiros com cães farejadores acompanharam a mulher para fazer uma verificação na área. Militares de vários batalhões vasculharam casas rurais em busca de pistas e rastros que Lázaro possa ter deixado;
  • 22 de junho: policiais retomam buscas por Lázaro e recebem rádios comunicados do Exército Brasileiro com alcance de 30km. Pela manhã, equipes periciaram um carro que foi encontrado queimado e, à tarde, um lençol e um serrote, que foram encontrados em um local onde o criminoso pode ter se abrigado, em Águas Lindas de Goiás. À noite, um novo cerco foi montado após troca de tiros entre fazendeiro e suposto invasor;
  • 23 de junho: a SSP disponibilizou um aplicativo para que moradores em uma área de 100 km de distância da região de busca possam fazer denúncias ou pedidos de ajuda. Equipes fizeram buscas em áreas de chácara, mas não conseguiram localizar pistas do fugitivo;
  • 24 de junho: a força-tarefa saiu durante a tarde para fazer buscas em uma região de chácaras de girassol. O secretário de segurança, Rodney Miranda, saiu em uma viatura descaracterizada. Helicópteros também sobrevoaram a região.
  • 25 de junho: a operação continuou em buscas pelo fugitivo na mesma região onde o caseiro e o fazendeiro foram presos suspeitos de ajudarem na fuga. O secretário de Segurança, Rodney Miranda, esteve no local para acompanhar.
  • 26 de junho: Uma moradora de Cocalzinho de Goiás contou que atendeu Lázaro Barbosa na padaria em que trabalha, onde ele pediu salgadinhos. A mulher de 32 anos disse que não tem dúvidas de que viu o criminoso..
  • 27 de junho: no início da manhã, um morador denunciou a suspeita de ter visto Lázaro na BR-070, motivando buscas na região. Durante a tarde, policiais encontraram a casa de uma chácara revirada, onde também foi montado um cerco.
Fotos de Lázaro Barbosa divulgadas pela Polícia Civil — Foto: Montagem G1

Fotos de Lázaro Barbosa divulgadas pela Polícia Civil — Foto: Montagem G1

Veja percurso feito por Lázaro Barbosa de Sousa após matar família no DF — Foto: Arte/G1

Veja percurso feito por Lázaro Barbosa de Sousa após matar família no DF — Foto: Arte/G1

Fonte: G1 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter