Anadia/AL

8 de dezembro de 2021

RÁDIO ABN NEWS

Anadia/AL, 8 de dezembro de 2021

Conselho de Ética da Câmara do Rio aprova cassação do vereador Dr. Jairinho

Por GyanCarlo

Em 28 de junho de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vvvv
O vereador Dr. Jairinho durante discurso na Câmara Municipal do Rio de Janeiro; político foi preso pela Polícia CivilDivulgação/Câmara Municipal dos Rio de Janeiro – 8.abr.2021 / 19:17

O Conselho de Ética da Câmara Municipal do Rio de Janeiro aprovou por unanimidade nesta 2ª feira (28.jun.2021) o relatório que pede a cassação do vereador Doutor Jairinho, preso depois de ser acusado da morte do menino Henry Borel, de 4 anos.

O relatório será apreciado pelo Plenário na 4ª feira (30.jun) e serão necessários ao menos 34 votos dos 51 vereadores que compõem a Casa para confirmar a cassação. As informações são do Estadão.

O relator do processo, vereador Luiz Ramos Filho (PMN), pediu a cassação de Jairinho por quebra de decoro parlamentar. “Nenhum vereador gostaria de estar aqui, julgando um caso tão triste, a morte de uma criança. O relatório foi embasado no inquérito policial, nos depoimentos das testemunhas e nas provas técnicas. Procuramos fazer um trabalho imparcial, com base nos fatos“.

O vereador está preso desde o dia 8 de abril. A namorada, Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, também está presa. Segundo as investigações, Henry teria morrido depois de ser espancado até a morte por Jairinho no apartamento onde morava com o casal, no Rio de Janeiro.

Dias depois, a justiça transformou a prisão temporária de 30 dias em prisão preventiva. Eles se tornaram réus pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, tortura de incapaz, coação de testemunhas e fraude processual. Ambos negam as acusações.

No relatório, que teve como base o inquérito policial sobre a morte do menino Henry Borel e o depoimento por escrito do executivo da rede d’Or [hospital], Pablo Menezes, o vereador Ramos Filho disse que há elementos para a cassação do mandato.

A ligação do Dr. Jairinho para o executivo do hospital para evitar que o corpo do menino Henry fosse periciado pelo Instituto Médico Legal caracteriza quebra de decoro a ser punido com a perda do mandato”, afirmou.

Fonte: Poder 360

 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter