Anadia/AL

30 de julho de 2021

Anadia/AL, 30 de julho de 2021

Miranda: “Prefiro votar nulo do que estar com Jair Bolsonaro em 2022”

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 29 de junho de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
cats 89

Por Juliana Barbosa / Ao Metrópoles, deputado afirmou que não estará ao lado da oposição, mas não sobe ao palanque do chefe do Executivo novamente  – Foto: Oliveira/Câmara dos Deputados – 05:06.
Em entrevista ao Metrópoles, nesta segunda-feira (28/6), o deputado Luis Miranda (DEM-DF) afirmou que prefere votar nulo nas eleições do próximo ano do que subir no palanque do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). De acordo com o político, as recentes polêmicas envolvendo ele e seu irmão, o servidor concursado do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, o fizeram deixar o apoio ao chefe do Executivo.

“[Não estarei mais no palanque de Bolsonaro] Por vários motivos, mas principalmente pelo governo ter agido contra o mensageiro, e não contra a mensagem. Mas também não estarei no palanque da oposição. Prefiro votar nulo, depois do que assisti, depois da maldade que fizeram com meu irmão, da maldade que fizeram comigo, simplesmente por estarmos combatendo a corrupção, jamais subiria de novo no palanque de Jair Messias Bolsonaro. Nem hoje e nem nunca”, afirma Miranda, em entrevista ao jornalista Caio Barbieri.
O deputado Luis Miranda afirmou que “falar a verdade” na CPI da Covid-19, em seu depoimento na última sexta-feira (25/6), significou “atacar o governo”. De acordo com Miranda, ele defendeu o presidente e disse que não precisa mentir sobre a compra da vacina Covaxin.

“De alguma maneira, não aconteceu a importação até a data que fomos [eu e meu irmão] para a CPI. Fiz na CPI um depoimento de coração aberto, disse que confio que o presidente fez algo. Falar a verdade parece que é atacar o governo nesse caso”, afirma Miranda, em entrevista ao jornalista Caio Barbieri.

Luis Miranda e o irmão Luis Ricardo depuseram à CPI da Covid-19 na última sexta-feira (25/6). Na ocasião, o deputado afirmou que o líder do Governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), foi mencionado pelo presidente Jair Bolsonaro como possível envolvido em esquema de corrupção, ao ouvir denúncia sobre os supostos problemas no contrato da vacina Covaxin. Barros nega envolvimento.

Os irmãos se reuniram com Bolsonaro em 20 de março, no Palácio da Alvorada. Segundo o parlamentar, a conversa durou 50 minutos. O chefe do Executivo federal teria citado o nome do líder do governo já nos primeiros 10 minutos de diálogo. “Esse pessoal, meu irmão, tá foda. Não consigo resolver esse negócio. Mais uma desse cara, não aguento mais”, teria dito Bolsonaro, segundo Luis Miranda.

Fonte: Metrópoles



Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter