Anadia/AL

1 de agosto de 2021

Anadia/AL, 1 de agosto de 2021

Renan quer convocar ex-cunhada de Bolsonaro à CPI da Covid

Por GyanCarlo

Em 5 de julho de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vvvv
Senador Renan Calheiros (MDB-AL) (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)/ 18:19


O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou que apresenta ainda nesta segunda-feira (5) um requerimento para convocar Andrea Valle, ex-cunhada de Jair Bolsonaro, para um depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito após ela revelar envolvimento direto do próprio Bolsonaro em roubo de salários de assessores, esquemas conhecidos como rachadinhas. De acordo com o parlamentar, o objetivo é saber se “houve espelhamento do caso das rachadinhas na gestão da pandemia por parte do governo federal”. Os relatos do emedebista foram publicados pelo blog do Camarotti.

“Quantos coronéis há no Ministério da Saúde? No gabinete, nesse esquema da rachadinha, foi um coronel [referência à reportagem do Uol]. Quero saber se o senador Flávio [filho de Bolsonaro] influenciou nessas nomeações. E se o vereador Carlos [também filho] teve influência no gabinete paralelo. Por isso, quero convocar a Andrea”, disse o parlamentar. “Vou apresentar ainda hoje [segunda-feira] esse requerimento. Todo esse esquema nos gabinetes da família passava por um coronel. A convocação da Andrea não é para incriminar, é para esclarecer”, acrescentou.

A fisiculturista Andrea Siqueira Valle afirmou que Bolsonaro demitiu um irmão dela, André Siqueira Valle, por ter se recusado a entregar a maior parte do salário de assessor do então deputado federal

Em outro indício de envolvimento de Bolsonaro nos desvios de salários, a mulher de Fabrício Queiroz, Márcia Aguiar, também afirmou que “o 01, o Jair, não vai deixar”, ao comentar sobre um possível retorno do marido para um cargo de assessor de Flávio Bolsonaro.

A ex-cunhada também revelou que coronel da reserva do Exército Guilherme dos Santos Hudson atuou no recolhimento de salários do antigo gabinete de Flávio Bolsonaro quando o atual senador exercia um mandato na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

Fonte: Brasil 247 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter