Anadia/AL

1 de agosto de 2021

Anadia/AL, 1 de agosto de 2021

‘Queremos justiça’, diz filha do homem decapitado pela amante em Arapiraca

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 6 de julho de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
whatsapp-image-2021-07-06-at-12.37.21

José Bezerra foi degolado pela amante em Arapiraca — Foto: Arquivo pessoal – 18:06
Um crime difícil de esquecer. Cinco meses após a morte de José Bezerra da Silva, degolado em Arapiraca, a família ainda enfrenta o luto da perda e pede por justiça. O crime aconteceu em fevereiro e teve grande repercussão pela forma brutal do assassinato. Uma mulher casada com quem a vítima mantinha um relacionamento foi presa na última sexta-feira (2) e confessou o crime.

Em entrevista ao G1 nesta terça (6), a filha de José, Nayra Bezerra, narrou o drama vivido desde a morte do pai. “Queremos justiça”, cobrou.

Ela disse que a família ainda aguarda o resultado do exame de DNA para saber se a cabeça achada no povoado de Bananeira em março, após o sepultamento do corpo, é mesmo de José. Segundo o Instituto Médico Legal (IML), a cabeça foi encontrada em estado de esqueletização.

“Meu pai foi enterrado sem cabeça. Isso dói muito. Até agora a gente não sabe se a cabeça encontrada é realmente dele”, disse Nayra Bezerra.

Segundo a filha, José mantinha há pelo menos quatro anos um relacionamento com uma mulher casada, chegando a formalizar com ela a união estável.

“Meu irmão e eu nunca aprovamos o relacionamento dos dois, mas respeitávamos. Ele era apaixonado por ela, bancava ela, fazia tudo por ela. Somente depois da morte dele que achamos um documento que comprovava a união estável dos dois, mas ela já era casada no civil”, explicou a filha da vítima.

Segundo a polícia, José teria descoberto um outro amante da mulher e a partir daí passou a ameaçar contar sobre os casos extraconjugais ao marido dela. Mensagens trocadas pelo WhatsApp mostram que a mulher também chegou a ameaçar a vítima, caso a traição fosse revelada: “Você vai se arrepender do dia em que me conheceu, pois não sabe do que sou capaz”, teria escrito ela.

Nayra conta que o irmão encontrou o pai sem cabeça e sem roupa no sofá.

“A polícia encontrou veneno. Ela envenenou ele antes de matar e, com ele ainda meio desacordado, tentou esfaquear. Um corte na mão mostra que ele tentou se defender. Provavelmente ele teve a cabeça cortada estando ainda vivo”, relatou Nayra.

Ela espera que a responsável pelo crime seja mantida na cadeia enquanto durar o julgamento. “Como ela é réu primário, pode ser que soltem ela. Isso não pode acontecer de jeito nenhum. Vamos lutar para que ela não saia impune depois do que fez ao nosso pai”, afirmou.

Fonte: G1-AL.



Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter