Anadia/AL

17 de outubro de 2021

Anadia/AL, 17 de outubro de 2021

Morre aos 74 anos, o professor e crítico de cinema Elinaldo Barros

Por GyanCarlo

Em 23 de julho de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vvv

Elinaldo Barros se destacou por seu trabalho em todos os veículos de comunicação de Alagoas (Foto: Arquivo Pessoal)

Ele sofria do mal de parkinson e em dezembro foi diagnosticado com câncer de próstata e bexiga

Morreu nesta sexta-feira, 23, o professor, escritor, critico de literatura e cinema, Elinaldo Barros, de 74 anos, formador de várias gerações de profissionais da imprensa alagoana. Ele sofria do mal de parkinson e em dezembro foi diagnosticado com câncer de próstata e bexiga.

Ele estava internado no Hospital da Unimed, em Maceió, e faleceu nesta madrugada. Ainda não há informações sobre o sepultamento, que está sendo providenciado pela família.

HOMENAGENS

O secretário de Comunicação do Estado, Ênio Lins, contou que teve a honra e o privilégio de ser aluno do Elinaldo Barros no antigo Colégio Élio Lemos. “Foi um grande professor, depois eu tive também a honra e o privilégio de trabalhar com ele na Secretaria de Cultura de Alagoas em 1995/1996. Sempre fomos amigos, na minha atividade de jornalista profissional também tive o privilégio de conviver com Elinaldo Barros na organização Arnon de Melo, eu no impresso sempre publicando material do Elinaldo, sempre conversando com ele, acompanhando ele na televisão, primeiro na própria TV Gazeta e depois na TV Pajuçara como crítico de cinema, o mais importante, o mais significativo crítico de cinema da história de Alagoas”, lembrou.

“Elinaldo Barros uma pessoa integra e especialíssima que dedicou a sua vida a cultura, ao ensino, ao cinema, a família e que cumpriu de forma magistral o que atribuiu a si próprio como missão nessa vida. Então ao Elinaldo Barros os meus tributos e a minha saudade”, reforçou Ênio Lins.

Para o ator alagoano Chico de Assis é com muita tristeza que sabe da partida de Elinaldo Barros. “Falar dele é falar da memória do cinema alagoano, do amor, afeto que ele tinha pela sétima arte e acima de tudo a generosidade com os artistas alagoanos”, destacou.

“Elinaldo era um mestre e deixa uma enorme lacuna e a tristeza que toma conta da gente é saber que partiu um homem, artista que devotou a sua vida a arte, principalmente a divulgação do cinema. Um beijo queridíssimo Elinaldo, obrigada por tudo e por ter existido, o cinema brasileiro e o cinema agradecem”, disse emocionado Chico de Assis.

Para o jornalista Edberto Ticianeli, Alagoas perdeu mais um grande educador. “Antes de se transformar numa referência como historiador e crítico de cinema, o Elinaldo foi um dedicado educador, sempre dirigindo suas melhores energias para despertar nos alunos o olhar para a arte. Contribuiu muito para a formação de uma geração que descobriu e passou a valorizar a sétima arte por sua orientação”, ressaltou.

NOTÓRIO

Elinaldo Barros se destacou por seu trabalho em todos os veículos de comunicação de Alagoas, como editor do Caderno 2, espaço reservado para a cultura e o entretenimento. Mestre respeitado por todos os profissionais de imprensa com quem conviveu tornou-se um patrimônio cultural do Estado.

No fim de sua carreira bem sucedida como cronista da sétima arte, ele empregou toda a sua energia na condução da “Sessão de Arte” do cinema Iguatemi, que ocorria aos sábados sempre às 10 horas. Foi uma das últimas atividades do mestre, que também era professor universitário.

Fonte: Tribuna Hoje

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter