Anadia/AL

27 de outubro de 2021

Anadia/AL, 27 de outubro de 2021

Com acusados soltos, família de adolescente estuprada em Porto de Pedras teme impunidade

Por GyanCarlo

Em 28 de julho de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vvvv

Jovem foi estuprada em janeiro e estava internada desde abril. / Foto: Reprodução / Instagram

A família da adolescente Andressa Julhia vem lutando para que as investigações sobre o estupro sofrido pela jovem em praia deserta no município de Porto de Pedras sejam concluídas e os acusados colocados em julgamentos. A jovem morreu no mês de maio deste ano depois de ter tentando suicídio e ter passado mais de 30 dias internada.

De acordo com a advogada e presidente do Instituto Nacional de Combate à Violência Familiar, Rosaly Monteiro Damião, algumas fatores ocorridos após a morte da jovem podem atrapalhar as investigações, principalmente sobre a condenação dos acusados no crime, já que a jovem não chegou a prestar depoimento e as provas do seu testemunho são relatos de amigos e da psicóloga.

“Após ela tentar o suicídio, e toda a verdade vim a tona para os seus familiares e autoridades competentes, a vítima já não teve mais condições físicas para prestar qualquer depoimento, porque assim que chegou ao hospital local e a transferiram para o HGE na capital Alagoana, a mesma já fora intubada”, lembrou advogada.

A advogada afirma que com o andamento das investigações e, após o pedido de prisão dos acusados feito pela Polícia Civil, mas negado pela Justiça, os irmãos e a mãe da jovem passaram a se sentir intimidados na cidade.

“A família alega que vem se sentindo perseguidos, ou seja, através de carros passando devagar pela porta de casa, e de pessoas desconhecidas perguntando por eles na cidade de Porto de Pedra.  Vindo eles, os familiares, em especial irmãos e mãe da vítima, a sentirem a necessidade de se mudarem da cidade de Porto de Pedra”, completo a advogada da família.

O caso 

Andressa foi estuprada no dia em janeiro. O caso foi denunciado à Delegacia Regional de Matriz de Camaragibe no final de abril. Segundo as investigações, a jovem teria sido estuprada por dois homens em uma praia deserta do Litoral Norte do estado. O crime teria sido filmado por uma suposta guarda municipal de Porto de Pedras, que seria prima dos autores do estupro.

Ainda segundo as investigações, os dois homens são de Recife/PE e passavam férias em Porto de Pedras.

Na época da denúncia, a mãe da adolescente contou à polícia que a filha havia ido a uma festa a guarda municipal.  No local, ela teria sido drogada e levada para a praia deserta onde o estupro aconteceu.

Fonte: Cada Minuto

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter