Anadia/AL

26 de outubro de 2021

Anadia/AL, 26 de outubro de 2021

Negociação com Benedetto teve desgaste e discussão de diretores do São Paulo com empresário

Por GyanCarlo

Em 31 de julho de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vvvv

Benedetto comemora gol sobre o Monaco — Foto: YANN COATSALIOU / AFP | Por André Hernan e Eduardo Rodrigues

Clube não chegou a acordo com o centroavante argentino e colocou fim às conversas

Mas até chegar nesse momento decisivo, muita coisa aconteceu entre uma conversa e outra. Diversos tipos de tratativas foram feitas e o desgaste foi inevitável.

Para fechar a contratação do centroavante argentino, o São Paulo precisava alinhar diversas questões. A primeira delas era com o Olympique de Marselha, clube que detém os direitos de Benedetto. O Tricolor conseguiu chegar a um acordo de empréstimo de um ano, com opção de compra fixada no final do período.

A questão dos salários também foi debatida com o clube francês, que aceitou fazer uma divisão com o São Paulo. A porcentagem dessas fatias não foram reveladas.

A segunda parte era se alinhar com o jogador para depois ter a liberação do empresário, o argentino Christian Bragarnik. Poderoso homem do futebol na Argentina, o agente é conhecido no país vizinho por geralmente visar o dinheiro em primeiro lugar.

E foi o que aconteceu na negociação com o São Paulo. Após o Tricolor se acertar com o Olympique de Marselha, o clube passou a tratar todo o negócio com Bragarnik. Bastava um sinal positivo e a liberação de Benedetto seria concretizada.

No entanto, o empresário não queria liberar o atacante sem uma compensação financeira, tanto para ele quanto para Benedetto. Na semana passada, o São Paulo tentou convencer o agente a abaixar a pedida, mas não teve sucesso.

Por desejar a contratação de um centroavante até as quartas de final da Libertadores, com o jogo de ida marcado para o dia 10 de agosto, o São Paulo tratou essa semana como decisiva. Isso daria tempo para, em caso de negativa, correr atrás de outro nome na semana seguinte.

Nesse vai e vem, a diretoria do São Paulo, representada pelo diretor Carlos Belmonte e o diretor-executivo de futebol Rui Costa, passou a se irritar com a postura de Chistian Bragarnik. Em determinadas ocasiões ele nem sequer respondia as investidas dos diretores.

Em uma das conversas, um dos membros da diretoria chegou a discutir com o empresário por tratar com certo descaso o interesse do São Paulo em seu jogador.

Bragarnik, segundo relatos, fez pouca questão de discutir e entender a situação financeira do São Paulo, que tem uma dívida de R$ 600 milhões.

Nesta sexta-feira, Benedetto desistiu de se transferir para o São Paulo e as negociações se encerraram. Não ficou claro, porém, se foi Bragarnik quem convenceu Benedetto a desistir ou se foi o próprio jogador, titular nos amistosos de pré-temporada pelo Olympique de Marselha.

O São Paulo não tem um pano B para a posição.

Fonte: GE

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter