Anadia/AL

16 de setembro de 2021

Anadia/AL, 16 de setembro de 2021

Dentro e fora dos “muros”: homens que se tornaram pais durante a pandemia compartilham medos e alegrias

Por GyanCarlo

Em 8 de agosto de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vvvb

Alícia Flores* e Gabriela Borba

Neste domingo (08), é celebrado o Dia dos Pais. É o segundo ano que a data será comemorada durante a pandemia do novo coronavírus. Nesse período, a paternidade teve um papel ainda mais importante e a conexão e o carinho entre pais e filhos ficaram ainda mais fortes.
Ser pai pela primeira vez já envolve um misto de sentimentos, expectativas e medos, e o contexto da pandemia potencializou todas essas emoções. Como os pais de “primeira viagem” lidaram e estão lidando com tantas mudanças e o que esperam do futuro, quando as medidas restritivas cessarem? O CadaMinuto ouviu depoimentos de pais e de uma especialista sobre o assunto. 
A psicóloga Laura Maravilha explica que uma das principais consequências do distanciamento social nas crianças é a dificuldade de lidar com regras e aspectos da regulação emocional que só se dão na relação com o outro. “Sendo assim, será preciso habilidade dos adultos responsáveis pelo cuidado para dar o contorno necessário às novas relações estabelecidas pelas crianças”.

Ela diz que, devido à pandemia, é essencial que os pais desenvolvam novas possibilidades e incrementem as relações afetivas e sociais mais próximas e diárias a fim de garantir a formação social do “eu”. 

“E é aí que as figuras parentais precisam se manter como fonte segura de afeto, apego e modelo social. Então, a dica é sempre fortalecer os vínculos inaugurais de amor para que as crianças saiam nutridas de afeto desse período e possam expandir isso. As brincadeiras, as conversas, o contato face a face entre pais e filhos serão válidos”, exemplificou.

“A figura paterna está associada ao contorno dos limites, da segurança e do impulso ao crescimento”, disse a psicóloga. “A pandemia muda o modo de cuidar da vida em seu início, então os novos pais, nesse novo tempo, ainda que com distanciamento físico, precisam e devem ser acolhidos no ato de cuidar e nutrir emocionalmente os seus filhos”.

Responsabilidades

Para o funcionário público David Lima, a maior dificuldade que encontrou ao se tornar pai foi a adaptação à nova rotina. “Há certo ‘medo’ sobre se serei um bom pai ou não, mas acredito que seja normal”.

Sua filha, Clara, nasceu em janeiro deste ano e ele diz que, devido à pandemia, sentiu certo medo em relação à sua saúde e que ainda não saiu muito com a filha. “Por questão de segurança, apenas saio para locais públicos, e só em extrema necessidade”, contou.

David falou, também, que o home office permitiu que passasse mais tempo com Clara: “logo quando acordamos, é bom estar presente em momentos importantes do dia dela. Sinto um privilégio maior de sentir cada fase, cada evolução, cada novo aprendizado”.

Fonte: Cada Minuto

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter