Anadia/AL

16 de setembro de 2021

Anadia/AL, 16 de setembro de 2021

Campeã olímpica no boxe trabalha como faxineira e ajuda pessoas carentes

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 10 de agosto de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
Gold medallist Ireland's Kellie Anne Harrington celebrates on the podium during the victory ceremony for the women's light (57-60kg) boxing final bout during the Tokyo 2020 Olympic Games at the Kokugikan Arena in Tokyo on August 8, 2021. (Photo by Luis ROBAYO / AFP) (Photo by LUIS ROBAYO/AFP via Getty Images)

Getty Images

A atleta contou emocionada que faz tudo com muito amor e carinho.

A campeã no boxe nos jogos de Tóquio, a irlandesa Kellie Anne Harrington, virou notícia no mundo todo, mas não foi apenas pela medalha de ouro que ganhou.

Kellie trabalha meio-período como faxineira Hospital St. Vincent, em Dublin, para ajudar pessoas carentes. A atleta contou emocionada que faz tudo com muito amor e carinho.

“Sou uma campeã olímpica, mas isso não me define como pessoa. Em casa, eu posso dizer que é algo um pouco para a mente, mas eu volto a trabalhar em duas ou três semanas”, disse Kellie em entrevista para a Globo após a conquista da medalha.about:blank

Kellie venceu a brasileira Bia Ferreira – Foto: Luis Robayo

Humilde

Após o resultado da medalha, a administração do Hospital St. Vincent fez questão de publicar uma nota parabenizando Kellie pela determinação no esporte. Eles também falaram que ela é uma pessoa muito humilde e faz um trabalho excelente na instituição.

“Estamos muito orgulhosos dela e esperamos vê-la de volta aqui no hospital, em um momento que lhe seja conveniente, nos próximos dias. Kellie não é apenas uma esportista excepcional, mas também uma valiosa e dedicada funcionária aqui no hospital”.

Já a atleta disse que fará questão de levar a medalha para os colegas verem: “Ah, vou levar a medalha para o trabalho. Tenho certeza de que haverá uma pequena festa para mim no trabalho na minha Ala de St. Mary, então estou ansiosa por isso”, vibra Kellie.

Medalha de ouro

A atleta venceu a brasileira Bia Ferreira na categoria até 60 Kg. Antes dessa conquista, Kellie já havia se tornado vice-campeã mundial na categoria até 64 kg, em 2016 e vencido o Mundial de 2018, na Índia.

A irlandesa começou no esporte na adolescência, para de “se livrar dos problemas”. Muito ligada aos pais, que sempre recebem a primeira ligação depois dos combates, Kellie é a primeira mulher irlandesa a ganhar medalha em duas categorias diferentes em Campeonatos Mundiais.

Aqui no Brasil, outra pessoa que se livrou de problemas – neste caso o vício em álcool e cigarro – é o motorista de ônibus Marcos Luvinha (@grupo_do_luvinha). Agora, ele sonha em abrir uma academia popular para ajudar jovens carentes a abandonarem o vício também. Abrimos uma campanha no Só Vaquinha Boa para ajudar o Luvinha a realizar o sonho dele. Ajude também!

Fonte: ESPN

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter